[TOP 5] Ultimatum X n° 4 – O Bombástico Final!!! (ou Quais X-Men icônicos ainda não foram relacionados com música pop??)

Depois de trazermos histórias trágicas dos vilões e anti-heróis a tona com tentativas fracassadas de Christina Aguilera e Utada Hikaru de alcançar novos mercados, Terminamos com mais cinco X-Mens icônicos que ainda não figuraram na lista!!!

ultimatum 4

Para finalizar, vamos de 2010 a 2016, que abrange o hiatus de cinco anos de Utada, um álbum BEM mediano por parte de Christina e até um filme musical!!!

Utada Hikaru – Goodbye Hapiness

Kitty Pryde

2010 foi um ano marcante para Utada. Sem o menor sinal de desgaste ou diminuição de vendas preocupante, ela anunciou sua aposentadoria do meio musical, com uma última coletânea de hits e a faixa fofinha e triste aí de cima como single final. O que é icônico por trás de Goodbye Hapiness não é nem por uma melodia inventiva ou uma letra tocante (apesar da mensagem sobre nostalgia e saudades de tempos mais ingênuos ser linda), mas sim por todo o planejamento por trás e as referências à carreira de Utada no clipe. É realmente um single de despedida que mostra o quanto ela cresceu e se modificou em mais de uma década de carreira.

Resultado de imagem para kitty pryde

E, se estamos falando de crescimento, não podemos esquecer de Kitty Pryde, a Lince Negra, uma das mais amáveis, divertidas e duronas integrantes dos X-Men de todos os tempos!!! De novata e aprendiz a líder do grupo, Kitty é uma expressão de como os X-Men mudaram com o passar dos anos e como o grupo foi lentamente se transformando de escola meio militar a uma família que realmente se preocupa com todos a sua volta. A própria utilização de sua habilidade de atravessar objetos sólidos sofreu uma transformação, indo de defensiva para ofensiva.

Christina Aguilera – Something’s Got a Hold on Me

Fera

Eis que no meio do processo de Bionic, seu álbum futurista e flopado, Christina foi convidada a estrelar o filme musical Burlesque, baseado em cabaré anos 20 concept com grande parte da trilha sonora sendo covers de Etta James, a grande inspiração de Xtina. Encantada com o projeto, ela aceitou e nos entregou um dos musicais mais simples e bem feitos dos últimos anos, cheio de performances incríveis, tanto suas quanto da Cher, que também participou do filme. Something’s Got a Hold on Me é um clássico de Etta que se encaixa perfeitamente com os vocais de Xtina e com a interpretação crua que ela dá no filme, afinal, uma faixa que consiste em gritar aos quatro cantos que você acordou de bem com a vida não precisa de nada espalhafatoso ou pedante para combinar.

Hank Mccoy, o Fera, é um personagem otimista. Ele sempre acredita que tudo dará certo no final, mesmo sendo o cientista-mor dos X-Men, encarando probabilidades que levariam qualquer um ao pessimismo ou racionalismo extremo. O próprio caráter deformador de sua mutação, que transformou suas feições humanas em fera bem no estilo da maldição de A Bela e a Fera, não conseguiu afetar sua esperanças e seu bom humor. Justamente por conta disso, Something’s Got a Hold on Me é a faixa perfeita por representá-lo por ser simples e otimista, mas, ao mesmo tempo, ter ganhado um caráter meio cult no meio musical.

 

Utada Hikaru – Two Hour Vacation

Jean Grey

Depois de seis anos, período em que sua filha nasceu e sua mãe morreu, Utada voltou ao cenário musical, renovada, orquestral e melancólica, mostrando o melhor do pessimismo e do otimismo com Fântome, seu melhor álbum (pelo menos, na minha opinião). Nijikan Dake no Vancance (Two Hour Vacation) conta sobre o suspiro de alívio causado pela saída da rotina massante e cruel do mundo real para um mundo de sonhos com que se divide com seu amor. É lindo, é tocante, e o clipe junta esta mensagem com ficção científica e representação LGBT+, onde temos Utada e sua BFF Sheena Ringo, interpretando amantes que só possuem duas horas para se encontrar antes de voltar para seus respectivos maridos.

Resultado de imagem para jean grey

Jean Grey é um símbolo entre os X-Men. Seu papel e sua responsabilidade na história do grupo é tanto que, apesar de já ter renascido repetidas vezes, ela sempre encontra a morte para proteger o grupo. Ultimamente, contudo, apesar de ser a maior telepata do mundo e invólucro para a força Fênix (uma entidade cósmica que já a possuiu e matou meio mundo, literalmente), Jean não quer saber deste tipo de papel. A última volta de Jean, uma versão adolescente sua que foi trazida do passado, só quer viver a própria vida longe deste fardo extremamente pesado que a figura de Jean Grey carrega consigo desde a primeira vez que a Fênix surgiu na Terra, nem que seja apenas por duas horas, como na música de Utada.

Christina Aguilera – Cease Fire

Tempestade

Para a última faixa de Christina, temos uma b-side de Lotus, seu pior álbum de estúdio, que sedimentou o declínio em sua carreira musical que respirou por aparelhos até 2018. Indo para um estilo mais comercial, muito pelo fato do caráter experimental de Bionic ter vendido bem menos do que se esperava, Lotus é raso, com faixas que funcionam sozinhas, mas sem aquele diferencial que se observa nos três álbuns anteriores de Christina (Stripped, Back to Basics e Bionic). Uma faixa, contudo, consegue brilhar sozinha. A cinematográfica Cease Fire, comparando uma discussão conjugal com uma guerra, no sentido literal da palavra com raps perspicazes, som de metralhadoras e uma estética pessimista, é uma das melhores faixas de Xtina e devia ter sido escolhida para promoção do álbum.

Como descrito em Cease Fire, Ororo Munroe já comeu o pão que o diabo amassou. Ela já viveu os mais diversos tipos de guerra, seja enquanto criança em situação de rua ou como rainha de Wakanda (sim, ela era casada com o Pantera Negra!!!), e está, claramente, entre os X-Men mais experientes e maduros, com seus poderes de controlar o clima a elevando a característica de Deusa, tanto no sentido metafórico quanto no sentido literal.

Utada Hikaru – Michi

Feiticeira Escarlate

https://vimeo.com/201372835

Para terminar o especial, temos Michi (Road), a mais tocante b-side do Fantôme, mesmo sendo um número de tropical house. Endereçada a sua mãe que morreu, Utada nos diz que, apesar de triste com a partida, sente que não estará sozinha, pois o espírito de sua mãe sempre estará ao seu lado e a acompanhara em todas as fases futuras de sua vida. É uma faixa tocante, melancólica e que traz um sabor amargo de tristeza e felicidade únicos ao ouvir.

Imagem relacionada

Muitos de vocês devem estar acostumados a ligar Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, com os Vingadores, por conta dos filmes da Marvel. Mas, além de vingadora, Wanda é também mutante (filha mais velha de Magneto, por sinal) e a mais poderosa de todo o planeta. Com o poder e a maldição de poder alterar a realidade ao seu bel-prazer, Wanda já se traumatizou e transformou o mundo ao perder o controle de seus poderes, unicamente pelo fato de que queria ser feliz. Por mais que seu descontrole tenha se repetido com o passar dos anos 80, 90 e 2000, e ela tenha perdido apoio de muitos de sus amigos e familiares, Wanda nunca parou de olhar para frente e seguir seu próprio destino, assim como Utada nos mostra em Michi.

E chegamos ao fim de Ultimatum X!!! Gostaram da ideia?? Conheciam todos estes X-Men?? Para finalizar, temos uma playlist com todas as músicas do Ultimatum X disponíveis no Spotify:

Aguardem pela Album Review de Liberation, da Christina Aguilera, e Hatsukoi, da Utada Hikaru!!!

PS: a arte utilizada na capa do post é uma das capas de uma das edições da revista solo da Jean Grey, desenhada por Russell Dauterman.

Confira os outros posts de Ultimatum X: nº 0 | nº 1 | nº 2 | nº 3 | Album Review Liberation | Album Review Hatsukoi

 

5 comentários em “[TOP 5] Ultimatum X n° 4 – O Bombástico Final!!! (ou Quais X-Men icônicos ainda não foram relacionados com música pop??)

  1. Achei que você ia associar Not Myself Tonight de X-Tina com Deadpool, já que a letra até que retrata bem a personalidade dele, rs! Mas enfim, Ultimatum X foi bem legal, me senti motivado a ver as suas outras séries!

    P.S.: Ainda se lembra da minha sugestão de posts da série de cantoras cancerianas flopadas no Japão? Uma sugestão pra teoria do porquê cantoras desse signo flopam lá: você podia fazer alguma fanfic ou relacionar isso ao fato do dia nacional da fundação do Japão, que foi no dia 11 de fevereiro. Daí levando em consideração que o Japão é uma “nação aquariana”, cantoras cancerianas flopam por lá, puxando o tópico de como acontece os atritos entre os signos de Câncer e Aquário. Deixo o link aqui sobre esse dia da fundação caso você queira desenvolver o que eu falei aqui melhor:

    https://en.wikipedia.org/wiki/National_Foundation_Day

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acredita que eu pensei nesta associação?? kkk Mas eu queria muito colocar algumas pérolas que passam despercebido pra muita gente em Bionic e Lotus, então o Deadpool acabou sendo cortado da lista kk Que bom que gostou do Ultimatum X!!! Espero que goste das outras séries também ^^

      P.S.: Eu AMEI sua sugestão e só não fiz ela ainda por causa de falta de tempo mesmo :/ Mas essa sua ideia envolvendo o signo do Dia Nacional da Fundação do Japão foi ótima!!! Já até sei como posso escrever sobre isto (vai pra categoria de Especiais muito provavelmente) xD Mais pro final do ano, quando eu finalmente vou ter um pouco mais de tempo livre (#amém), eu vou escrever o post desenvolvendo esta ideia ^^ Muito obrigado pela nova sugestão!!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s