[Album Review/Fanfic] LOONA – [++] (ou O loonaverso está cada vez mais próximo de retornar!! Será que todas as integrantes do LOONA sobreviverão ao processo??)

Resultado de imagem para canopy walkway

ANTERIORMENTE EM LOONA… Antes do encontro derradeiro das doze integrantes do loonaverso, um interlúdio era necessário… Pela primeira vez na Saga, o paradeiro de todas é finalmente revelado!!! Olivia e Yves estão presas em um looping temporal criado por Go Won. HaSeul programa Vivi para matar Yves. Go Won está distraindo Chuu, que não sabe de nada. Kim Lip acaba de encontrar uma estranha criatura no mar. Yeojin sonha com os ataques de uma vampira chamada Choerry a seu reino dos sapos. E Heejin e Hyunjin, fazendo um círculo convocatório para as fundadoras do loonaverso, acabam por ouvir o pedido de socorro de Olivia!!!

LOONA6

Tracklist:

  1. ++
  2. Hi High
  3. favOrite
  4. Heat (9)
  5. Perfect Love
  6. Stylish

A fusão entre Album Review e Fanfic continua para este novo capítulo do LOONA e, devo dizer, este é, com certeza, o post mais longo de todos até agora no Aquário Hipster… @.@’ Eu, inclusive, fiquei com muito receio de não conseguir terminar a tempo de postar hoje (quarta-feira) como havia prometido (uns imprevistos da vida também ajudaram pra quase atrasar, mas enfim, deu tudo certo!!!)

Senta que lá vem a estória…

++ abre o EP com uma intro conceitual bem trabalhada e cheia de elementos distintos entre si, assim como todos os outros mini-álbuns das subunits do LOONA. De acordo com a BBC, esta intro seria a fusão das intros dos lançamentos das subunits e… bem… de fato, temos muito de Dal Segno (a intro acústica e soft pop do LOONA/yyxy) aí, com a base da melodia sendo inicialmente no violão, e um pouquinho dos sintetizadores de ADD (o dream pop aesthetic do LOONA/Odd Eye Circle) nos últimos vinte segundos, mas nada de Into the New Heart (o rockzão eletrônico do LOONA 1/3), o que é uma pena, já que era a melhor das intros de todo o projeto…

“Heejin, socorro!!!”, gritava Olivia em meio ao círculo convocatório de Hyunjin e Heejin.

Um impulso faiscante percorreu pelas duas wiccas. Todo entorno passou a se remexer, como se acordasse repentinamente depois de um pesadelo.

Pedras, poeira, lixo… todos os tipos de detritos elevavam-se no ar e circundavam a dupla, que ainda processava o que tinha acabado de acontecer.

“Heejin”, dizia Hyunjin, vendo sua irmã wicca de sangue começar a soar frio com o chamado, “como Olivia se lembra do seu nome? Ela ainda não estava desaparecida?”

Ela não sabia… como poderia saber? Uma barreira havia se elevado entre sua conexão mental para seu plano com Olivia dar certo… Tinha de demolir a barreira e mostrar toda a verdade a sua irmã. Não teria como esconder as atrocidades que o lado sombrio de Olivia havia trazido ao loonaverso. Será que ela a iria perdoar? Será que ajudaria Olivia? Não tinha tempo para muitas reflexões…

Por desejo de Heejin, a barreira desapareceu em pó… Hyunjin estava escandalizada.

A sereia estava se aproximando cada vez mais de Kim Lip. Uma sereia bela e loira. Não tinha dúvidas que era uma sereia depois que a criatura chegou a parte mais rasa do mar e sua cauda transformou-se em pernas. E estas pernas corriam efusivamente até a margem.

Twilight, a coruja de Kim Lip, bravejava, alçando voo em direção a estranha criatura. Por seus olhos, percebeu. Aquela era JinSoul!

Ambas se abraçaram fortemente, debulhando-se em lágrimas. Depois de tanto tempo, depois de tudo que passaram nos loopings temporais, finalmente haviam se encontrado!

“Kim Lip”, dizia JinSoul, eufórica, “tenho tanto pra te contar! Tem tanta coisa que eu descobri! Existe muito mais sobre o loonaverso e nós mesmas!”

Conforme sua parceira do Círculo Bizarro do Olho falava, Kim Lip ainda não conseguia raciocinar tudo que estava acontecendo… Não tinha passado pela sua mente estranhamento sobre a forma sereia de JinSoul ou questionamentos sobre onde ela esteve. O importante era que tinham se encontrado e agora tudo ia ficar bem!

Ou, pelo menos, era o que parecia, até o brilho do Círculo em suas íris começaram a brilhar.

Uma sensação estranha percorreu a espinha das duas. Inconscientemente, elas sabiam exatamente o que estava acontecendo: alguma integrante do loonaverso estava procurando teleportar-se forçadamente entre dimensões… Se não fossem pelos meios apropriados, o Círculo Bizarro do Olho deveria estar presente…

Estando devidamente introduzidas, temos Hi High, o tão aguardado single oficial do debut. Temos, como já era esperado depois do sucessinho de love4eva, um número aegyo extremamente enérgico em uptempo, incorporando o instrumental de música de videogame que deu as caras em todas as units, principalmente (choquem-se) no Max&Match do Odd Eye Circle. É uma boa faixa para estrear o grupo “oficialmente” no mercado coreano e tentar agradar quem conhece pouco/nunca ouviu falar do projeto. Não é o melhor aegyo açucarado do ano nem nada disso, mas funciona depois de tanto hype que tínhamos em cima deste lançamento (depois de dois anos, chegou num ponto que só uma baladinha sem sal poderia decepcionar).

Quanto ao clipe, porém, muitas coisas me incomodaram.

Pra começar, temos os closes objetificadores nas saias/shorts de Heejin, Kim Lip, Chuu e Go Won… Sério?? Eu entendo que isto faz parte do machismo dentro mercado musical capopeiro, mas em NENHUM momento, um lançamento do LOONA chegou neste nível. Tivemos sexy concept e fanservice lésbico?? Tivemos… Mas se utilizar destes closes assim, “aleatoriamente” (principalmente depois de já tinha quebrado um pouco a sexualização subliminar do aegyo em Love&Live e love4eva), só pra dar mais “appeal” pro grupo, incomodou-me tanto que lembrei das várias figurantes em clipes de atos masculinos estão lá só para serem objetificadas…

Além disso, eu achei o clipe extremamente vazio… Estávamos em uma onda de aumento exponencial das referências e das teorias com o passar dos lançamentos desde Love Cherry Motion pra, de repente, ganharmos uma versão soft e campestre do que seria a resolução dos conceitos (sombrios e leves) de crescimento que estão presentes no grupo desde o primeiro lançamento. Não que não tenhamos quaisquer teorias e metáforas (todas as que achei/li na internet e consegui encaixar na Saga do Loonaverso estão na fanfic, sem contar alguns outros easter eggs que pus no meio :3), mas tive a sensação de que poderíamos ter muito mais depois de tanto tempo e dinheiro investido pela própria produção por trás do grupo.

Pra finalizar as críticas ao clipe, enfiaram a Chuu e a Go Won em uns vestidos velhos de estopa, não só destoando elas de todo o resto como as deixando bem esquisitas (que nem na capa de Beauty & the Beat, diga-se de passagem). Pelo menos, as outras dez integrantes estão maravilhosas (a Choerry é muito linda e carismática mano @.@’) e eu simplesmente AMEI a corrida no breakdown da faixa, com direito a Heejin emulando a Noviça Voadora no final.

Resultado de imagem para flying nun gif

A letra é bem basiquinha se comparada a qualquer outro single do LOONA até então (apesar de similaridade sonora entre “hi” e “high” ter ficado legal), com as integrantes convidando a pessoa tímida que gosta delas para conversar e começar uma história de amor, surpreendendo-se com o quanto o amor deixou de ser cruel (esta parte é que pega nas teorias e metáforas de crescimento dos singles solos, mas acaba não tendo muito foco no decorrer da faixa).

E os vocais foram surpreendentes, já que as três que pareciam que teriam foco (HaSeul, Chuu e Hyunjin) mal abriram a boca em comparação ao Odd Eye Circle, por exemplo… @.@’ De resto, são muitas vozes e linhas muito distribuídas, então o resultado final ficou bem homogêneo (pelo menos Vivi falou xD).

A princesa havia sonhado com o desastre, então estava decidido! A Corte Anfíbia votou por unanimidade na intervenção contra a criatura que atacava cada vez mais furiosamente as Árvores Vivas! Aquele absurdo não poderia se repetir!

Yeojin estava com medo. Seu último sonho profético terminava justamente com a vampira Choerry encontrando-se com o exército dos sapos. Depois, tudo mergulhava em uma escuridão infinita e a princesa acordava com a respiração pesada. Será que a vinda deste monstro tinha relação com sua sensação de vazio?

Fez questão de acompanhar o exército em sua empreitada, mesmo não se vendo presente no embate durante seus sonhos. Se pudesse conversar com a criatura, perguntar de onde veio… Eram sonhos vãos, sabia, mas nunca desistiria de sonhar… Foram justamente seus sonhos que a levaram até ali, não?

A emboscada foi armada quando uma cerejeira havia se oferecido de isca para atrair a vampira. Sabia que nada iria acontecer à Árvore Viva, já que ela aparecia protegida por trás dos sapos em seu sonho, porém, mesmo assim, quando o vulto arroxeado e sanguinolento de Choerry avançou por entre a mata, não pode deixar de se sentir aflita.

Então, a cena de seu sonho se firmou: os sapos de um lado, protegendo a cerejeira, e Choerry de outro, com um de seus olhos brilhando um roxo demoníaco… O vento soprava como se procurasse empurrar ambos os lados. A batalha seria violenta. Jovens rãs e sapos não conseguiriam mais voltar para suas família. O transcorrer do tempo parecia congelar conforme a criatura e o exército se apercebiam que havia chegado o momento de agir.

Naquele instante, Yeojin não pode deixar de imaginar que aquele poderia ser mais um de seus sonhos. Que logo iria abrir os olhos e ofuscar-se com os raios de sol adentrando seu aposentos reais…

De fato, logo em seguida, uma luz ofuscante cegou todos naquele cenário. Por alguns segundos, Yeojin apenas conseguia ouvir o choque de algo contra a terra… Teria sido realmente mais um sonho? Será que Sr. Almofadinhas tinha derrubado novamente a prataria só pra pegar uma mosca?

Piscando rapidamente, afoita pelo que poderia ter acontecido, sua visão retornou. E o que vislumbrou não foram seus aposentos, muito menos o rosto verde envergonhado de Sr. Almofadinhas. Ainda estavam no campo de batalha. Ainda tinha a ameaçadora vampira Choerry defronte a seu exército. Contudo, para surpresa de todos, agora outras três novas figuras se encontravam caídas entre o exército e a vampira.

“Conseguimos, Heejin?”, dizia Olivia confusa, na direção de Kim Lip e JinSoul, que haviam caído ao lado dela.

“Heejin?!”, retrucou Kim Lip, sem ter a menor noção do que estava acontecendo.

“OLIVIA!!”, exclamou JinSoul num sobressalto.

A anja demoníaca não conseguia acreditar! Depois de tanto tempo a procura de JinSoul, por um acaso do destino, estava frente a frente com sua antiga amada, aquela que a usou e enganou por uma simples ameaça de Yves.

“VOCÊ!!!!”, urrou, enquanto seus olhos lupinos brilhavam como sangue.

Kim Lip não estava entendendo absolutamente nada. Lembrava-se vagamente de Olivia, mas não parecia ser uma memória muito nítida… Pelo que HaSeul dissera, ela também era parte do loonaverso, então por que não conseguia recordar-se dela direito?

Em choque, tanto pela viagem repentina quanto por suas próprias reflexões, olhou ao redor, procurando algum elemento para se localizar… Será que ainda estava próxima de Twilight? Será que sua coruja voaria até seu encontro se a chamasse?

“Choerry!”, gritou, quando percebeu que sua outra parceira do Círculo Bizarro do Olho estava bem diante de seus olhos, curvada, prestes a atacar. Assim como JinSoul, ela exalava uma aura completamente diferente da última vez em que haviam se visto? O que tinha acontecido com as duas enquanto estavam desaparecidas?

“Apresentem-se!”, coachou o general sapo, receoso de que a criatura pudesse utilizar aquela distração repentina para fugir… ou, pior, atacar a princesa.

Olivia, JinSoul e Kim Lip viraram imediatamente. Por mais que suas preocupações fossem completamente diferentes naquele momento, o mesmo pensamento passou pela mente das três: que raio de mundo era aquele, cheio de sapos de armadura?!

“Acalme-se Sr. Severo”, disse Yeojin, receosa, “acho que conheço estas novas criaturas… já as vi em meus sonhos…”

Sim… Yeojin sabia quem eram e o que eram aquelas três estranhas que tinham acabado de cair de para-quedas no meio do campo de batalha. Olivia, a anja demoníaca. JinSoul, a sereia. E Kim Lip, a ninfa… Se aquelas pessoas eram realmente quem tinha sonhado que eram, então TODOS os seus sonhos eram proféticos?!

A interrupção de Yeojin fez com que as três recém-chegadas passassem o olhar pelos sapos e rãs, e finalmente percebessem que Yeojin, a princesa perdida do loonaverso, estava ali, bem na sua frente.

“YEOJIN!!!”, as três exclamaram, sem perceber que, aproveitando o momento de distração, Choerry estava prestes a iniciar um ataque a qualquer um daqueles seres que estavam em seu caminho.

Eu já comentei favOrite há umas duas semanas e minha opinião ainda não mudou muito: um número retrô, extremamente redondinho, cheio de pulso que ganhou muitos pontos pela interpretação debochada de Heejin, os “brrrrrah” de JinSoul e os carões que todas menos Vivi fazem no clipe, que, apesar da simplicidade, funciona perfeitamente bem para o caráter de pre-release que procura entregar. Mas, olha, eu não reclamaria nem um pouco se tivesse pelo menos um pouquinho de referências e eu não precisasse forçar a barra na fanfic…

Yves surgira no centro do círculo de Heejin e Hyunjin. Estava extremamente fraca, era nítido. Na verdade, era incrível como ainda conseguia se manter desperta.

“Heejin”, dizia Hyunjin, enfurecida, “o que esta anja maligna está fazendo aqui?!”

“Eu não sei…”

“O que mais você anda escondendo de mim?!”, o tom de voz de Hyunjin se elevava conforme cada sílaba escapava por entre seus lábios. Mesmo assim, Yves mal conseguia ouvi-la… O único som que conseguia captar era um familiar barulho de engrenagens. Para alguns, poderia ser apenas o tilintar constante de um relógio, contudo, a anja sabia que só um ser no universo fazia aquele barulho naquela sequência específica.

“Protocolo 8GM710228”, iniciou uma voz metálica, interrompendo a discussão entre as irmãs wiccas, “alvo encontrado”, Vivi se encontrava de frente para o trio, com faíscas escapando de seu braço esquerdo e um brilho cósmico iluminando seus olhos, “iniciar extermínio de ser celestial”.

O braço de Vivi estava se transformando. O que antes parecia uma fina e frágil mão humana agora dava forma a um canhão reluzente de aço, cor-de-rosa. As três conheciam Vivi a tempo suficiente para saber que aquele era o canhão de prótons da androide, que tinha sido desativado por ela própria tempos atrás.

Tinham de pensar rápido! No estado em que Yves se encontrava, teriam, além de proteger a si mesmas, encontrar uma forma de proteger anja. Heejin rapidamente passou a conferir sua bolsa a procura de alguma uma especiaria ou instrumento mágico que pudesse criar uma barreira e proteger as três. Quando finalmente havia encontrado uma raiz de gengibre, Hyunjin já estava empunhada de um ramo de erva cidreira.

“Como criança o dia todo, olho para você e me escondo!”, ela gritara, agitando o ramo enquanto um forte cheiro de erva-cidreira empesteava o entorno de Vivi. A fórmula mágica iria desligar momentaneamente todos os circuitos da androide, deixando-a em um êxtase de calmaria por tempo o suficiente para a dupla escapar.

“O que mais você está planejando, Heejin?!”, Hyunjin continuou, incrédula de ter acabado de proteger uma de suas mais cruéis inimigas do ataque de uma de suas mais singelas amigas.

“Eu tô tão confusa quanto você!”, Heejin retrucou, tentando desesperadamente lembrar a fórmula mágica que poderia tirá-las dali com a raiz de gengibre, “Mas temos de tirar Yves daqui… Não sei o que aconteceu com a Vivi, mas não podemos deixar que nada aconteça com ninguém!”

Hyunjin detestava ter de concordar com Heejin naquele momento, mas ela estava certa. Os efeitos da erva-cidreira logo iriam acabar… Por Vivi não ser uma criatura da natureza, capaz do feitiço ter menos força ainda. Puxou com tudo o gengibre da mão de Heejin, ainda furiosa.

“Segura sua amiguinha aí!”, gritou, e depois fechou os olhos, concentrando-se ao máximo para recitar a fórmula corretamente, enquanto jogava a raiz de gengibre no chão:

“Contigo em um mundo rosado, juntos neste lindo lugar ensolarado”

A raiz enfincou-se, torceu-se e cresceu rapidamente no chão, nutrindo a terra que tocava no processo. Ao final, um caule fino, de um metro de comprimento, aguardava o inicio de sua corrida.

Tal qual um cavalo, Hyunjin, Heejin e Yves montaram na planta, desafiando toda e qualquer lei da física e mecânica que resultou na própria existência de Vivi. O caule partiu aprofundando-se e retraindo-se no chão a cada estranho movimento retorcido que fazia.

“Para onde você mentalizou nosso destino, Hyunjin?”, disse Heejin, conforme Yves, depois de todas as repetições do looping temporal de Go Won, desfalecia de exaustão.

“Você não gosta de surpresas, Heejin?!”, retrucou, sarcástica, “vai descobrir quando chegarmos lá”

“Me avisa quando o piti acabar?”

“Piti?! PITI?! Você estava em coluio com Yves, a anja que estava tentando nos impedir de restaurar o loonaverso! E AINDA ESCONDEU TUDO DE MIM! Há quanto tempo estamos conectadas, Heejin, me diz, hein?!”, Hyunjin bufou, ainda não conseguia acreditar na grandiosidade dos segredos de Heejin, “Somos wiccas! Somos IRMÃS DE SANGUE!!! Como você pode agir assim pelas minhas costas como se eu simplesmente não fosse mais sua favorita?!”, Heejin permanecia quieta… sabia que se a interrompesse seria bem pior, “Nem sei o que é mais decepcionante! Você se aliar com esta aí ou achar que eu não entenderia seus motivos se contasse tudo para mim!”

Um clarão estourou as costas das wiccas. Era claro que os efeitos da erva-cidreira haviam acabado…

“Ódio!”, Hyunjin bufou, “e ainda me coloca no meio de uma batalha contra a Vivi!”

Este argumento Heejin sabia muito bem que precisava rebater:

“Eu também não sei de absolutamente nada do que está acontecendo! A única que deve saber é a HaSeul, já que a Vivi foi levada pra lá depois que descobrimos que Yves estava se encontrando com ela”

Mais um clarão, desta vez acompanhado de um estrondo, trouxe uma pausa a discussão de Heejin e Hyunjin. Tinham de ir até HaSeul! A fada da neve com certeza saberia o que raios aconteceu com Vivi!

“Hyunjin”, começou Heejin, “eu sei que está brava comigo, e tem todo o direito, mas precisamos achar um jeito de voltar para o castelo de HaSeul…”

Hyunjin sorriu. Não porque estava feliz ou tinha superado a situação, mas sim porque já estava um passo a frente de sua irmã wicca. E poderia esfregar isto bem no meio da fuça dela:

“Já estamos indo pra lá…”, ante a cara espantada de Heejin, completou: “duvido que suas amiguinhas anjas teriam raciocinado tão rápido…”

Heat (9) traz elementos de EDM europeu, latin pop e house, sons que particularmente já estão se desgastando bastante pelo mundo a fora. Este deve ser um dos instrumentais mais comuns e modinha (em termos mundiais) que temos em um álbum do projeto, decepcionando um pouco, ainda mais por ser a primeira b-side que ouvimos com o grupo completo. Pela descrição da BBC, a ideia por trás da faixa seria que “mesmo sem o tempo agressivo, a temperatura (heat) da música aumentaria com o fervor das garotas”… as diferentes texturas dos vocais delas de fato fizeram a diferença pra iconicidade da faixa (Chuu e Hyunjin finalmente tiveram seu destaque!!!), mas também não é pra tanto @.@’ Até porque o tema da música NÃO TEM NADA A VER COM ESSA DESCRIÇÃO DA BBC KKKKK

Na verdade, temos uma volta às letras aesthetic e reflexivas que vimos nos outros EPs, onde vemos elas convidando o ouvinte a esquecer dos medos e anseios para acompanhá-las e flutuar no céu… Com esta letra, ficaria conceitualmente perfeito se a faixa fosse entre a intro e Hi High (onde Heejin, literalmente, flutua) na tracklist, mas, né, o mundo não é perfeito…

HaSeul e Go Won encaravam-se estranhadas. A Bruxa das Dimensões tinha vindo até o castelo de gelo, dizendo não pretender nada além de conversar e deixar Chuu em segurança. Quando a fada viu o corpo flutuante adormecido da humana, acabou dando uma chance as palavras capciosas da bruxa.

“Por que não revela logo o motivo de ter vindo até aqui?!”, perguntou HaSeul, “e ainda trazendo Chuu neste estado…”

Go Won a encarou por um longo tempo antes que fizesse qualquer movimento que sugerisse uma resposta. HaSeul não pode deixar imaginar que todas as borboletas da bruxa morreriam congeladas ali em seus domínios… Por mais fervoroso e aquecido o ambiente pudesse parecer.

“Não sei se lembra de tudo”, começou, diplomática, “mas sou uma figura neutra. Sempre fui e sempre serei”, a fada lembrava-se com clareza da posição da bruxa. Inclusive, aquilo era uma das várias características que Go Won que a irritavam, “então, peço que me escute de coração e mente abertos quando lhe aconselho a desistir de trazer o loonaverso de volta”.

Aonde ela queria chegar com aquela conversa?

“Sei bem que você já está avaliando minhas palavras e assumindo que faço parte de um plano maior de Yves para enganá-la”, Go Won continuou, “entretanto, eu sou a Bruxa das Dimensões”, a fada não pode de interpretar aquela fala como autoindulgência, “transito livremente entre os mais diversos meandros da realidade e da irrealidade, portanto tenho a real noção de que espaço material e imaterial o loonaverso ocupará assim que ressurgir”, HaSeul estava se segurando para não interrompê-la de continuar aquele pequeno discurso, “e é perigoso demais, arriscado demais. O loonaverso foi o desejo inútil de uma criança tola”.

“Como é que você chega até meus domínios e me insulta desta forma?!”, HaSeul não conseguiu mais se segurar, “é extremamente imprudente de sua parte”.

“Não houve nenhuma ofensa em qualquer uma das minhas palavras”, Go Won retrucou, polidamente, “o tecido que rege as diversas dimensões já possue um incontável número de ameaças… não deixarei que qualquer uma de nós doze seja mais uma delas.”

HaSeul respirou fundo. Não poderia simplesmente conjurar um raio de gelo em direção a bruxa. Uma luta entre as duas, por mais breve que fosse, poderia destruir Chuu, que estava flutuando adormecida bem ao lado.

A situação na floresta dos sapos estava ainda mais complexa.

No primeiro golpe de Choerry, Olivia, canalizando o ódio que seu lado demoníaco sentia por JinSoul, a imobilizou com suas garras. Todas as rãs e todos os sapos estavam atentos, preparados para o caso de Olivia estar prestes a se tornar sua nova inimiga.

“Você está machucando ela!”, Yeojin gritou.

“Ela está fora de si!”, JinSoul respondeu, “o impacto de retornar a sua verdadeira forma é forte demais depois de tanto tempo aprisionadas pelo próprio Círculo Bizarro do Olho! Precisamos  de Hyunjin!”

Kim Lip estava perplexa. Não apenas por JinSoul ter mencionado Hyunjin, mas também pelo conhecimento amplo que ela parecia possuir o Círculo Bizarro do Olho. “O quê?”

“Hyunjin é wicca. As wiccas estão ligadas a magia orgânica da natureza e do crescimento… Se ela não tivesse me encontrado quando me descobri enquanto sereia, não sei o que teria acontecido…”

“O QUÊ?!”, desta vez, Kim Lip e Olivia tinham exclamado ao mesmo tempo.

“Desculpe Kim Lip, desculpe Olivia!”, JinSoul disse, com lágrimas escorrendo de seus olhos, “eu sempre vivi com muito medo da sede de sangue de meu eu… por isto que Yves conseguiu me manipular… ao mero estalar de dedos ela poderia me fazer retornar ao estado carnívoro de sereia, antes do surgimento do loonaverso…”

Kim Lip ainda não estava entendendo absolutamente nada. De uma forma irônica, percebeu que, desde que tudo aquilo começara, sempre se sentia assim.

“Eu tinha de treinar e me aperfeiçoar, ainda mais depois que me esqueci de tudo e a transformação me atingiu novamente… Hyunjin me encontrou e me ajudou, mas não sabíamos quando seria o momento certo para eu me juntar a vocês… ou o que HaSeul iria achar de tudo isso…”

Yeojin deu um salto que atropelou praticamente todo o seu batalhão de sapos.

“Vocês disseram HASEUL?! A fada madrinha dos meus sonhos?!”

“Pronto, agora virou conto de fadas…”, exclamou Olivia, sem saber o que responder depois da revelação de JinSoul.

Kim Lip impediu Yeojin de avançar, segurando em seu ombro. Olivia, a anja demoníaca, e Choerry poderiam machucar a menina. Naquele momento, ela só confiava nas palavras de JinSoul… Apesar de estar confusa.

Ao mero toque de Kim Lip, os olhos de Yeojin começaram a brilhar. O tom de sua pele passou a se transformar, reluzindo com a luz do sol da floresta dos sapos. A princesa do loonaverso agora via o que estava acontecendo. Ela via Olivia, JinSoul, Choerry e Kim Lip em um impasse na realidade falsa conjurada por Yves. Ela via Heejin, Hyunjin e a própria, e desacordada, Yves fugindo do extermínio programado em Vivi. Ela via Go Won e HaSeul contendo-se ao máximo para não iniciar uma batalha, enquanto Chuu adormecia insignificantemente no canto.

Ela via e entendia. Era chegada a hora do loonaverso retornar!

Perfect Love já é descrita pela BBC como um som mais “comercial”, então o medo já veio depois de Heat quase ter ficado genérica por causa disto. Só que, pelo jeito, o conceito de comercial da BBC tá meio desatualizado, porque, apesar de ter inspirações no house, a faixa emula muito mais a interpretação que parte do pop norte-americano deu ao ritmo no começo dessa década (lembra aquele mundo mágico em que reinventar o house ainda era novidade??). Ou seja: o instrumental da faixa está limpo e leve, não ficando lenta demais por conta das batidas constantes nos versos e no refrão.

Os melismas vocais do pós-refrão ficaram ótimos, apesar de os vocais voltarem a um caráter mais homogêneo aqui. Sobre a letra, não temos qualquer mistério: elas falam de um amor recente e perfeito (dã…), que as surpreendeu.

“Ai minha lua!”, Kim Lip exclamou, “desculpa! Desculpa! Não fiz por mal…”

Será que não podiam encostar em Yeojin?! Bem que JinSoul poderia ter dado este detalhe no meio do seu discurso…

Yeojin se tornava cada vez mais reluzente a cada segundo que se passava. A única ali que sabia o que estava acontecendo era Olivia… Realmente, estava sendo bem parecido com a primeira vez.

“Não precisa se preocupar, Kim Lip”, disse Yeojin, em um tom calmo e levemente cômico, “sem seu toque, eu jamais conseguiria me lembrar de todas nós e de tudo que passamos juntas”.

Kim Lip estava preocupada, mas não iria perder aquela oportunidade:

“Me explica o que está acontecendo, pelo amor da lua!”

Yeojin riu. Todos os sapos coaxaram de alegria como resposta àquele som.

“Você sempre foi muito engraçada”, ela respondeu, “mas não temos tempo pra conversar agora! Se não fizermos nada, Heejin, Hyunjin, Yves e Chuu acabarão sendo mortas…”

Mesmo com toda seriedade de suas palavras, Yeojin exibia uma expressão alegre e iluminada enquanto, espantando todas, passou a recitar algo que parecia uma cantiga de ninar:

“Diga-me ‘olá’, me eleve no céu, para um amor real. Leve-me para mais alto, me eleve à lua, para uma história que jamais encontrará seu final”.

O brilho de Yeojin parecia mais intenso e ofuscante a cada palavra proferida. Kim Lip se afastou automaticamente, ser perceber que a princesa do loonaverso tinha começado a flutuar.

Pra finalizar, temos Stylish, que, de acordo com a BBC, é “uma sugestão musical para você tornar-se valente pelo luxo da imaginação que todo mundo nutre nos cantos de seu coração”… Apesar da criatividade na descrição, não encontramos um número diferentão hipster como nos solos da Yves e da Olivia, mas sim versos em dancehall e um refrão de future bass como o solo de JinSoul. Por outro lado, como esperado das faixas de final de álbum que não são baladinhas, temos uma letra motivacional, elogiando o “estilo” do interlocutor, enquanto aconselha/pede conselhos a nós que estamos ouvindo. O som e a construção da faixa combinaram muito bem com a posição na tracklist, sendo uma ótima faixa para se escutar durante os créditos da Saga do Loonaverso.

Uma a uma, cada uma das fundadoras do loonaverso tinham começado a flutuar. Por uma força irresistível, seus corpos eram atraídos para o alto sem que elas soubessem qual era seu destino. As perseguições continuariam, as disputas persistiram, mas, naquele momento, todas pareciam impedidas de fazer qualquer coisa que as impedisse de flutuar cada vez mais alto em direção ao céu. Em direção a lua…

Ao longe, uma figura observava toda aquela cena, incrédula com o desenrolar dos eventos. Tinha sido muita sorte a pequenina princesa sonhadora ter despertado poucos momentos antes das fundadoras do loonaverso destruírem a si mesmas. A grande chave que era a princesinha finalmente tinha aberto o caminho para a lua e erguido, novamente, o loonaverso…

Eram poucos os que sabiam o nome daquela mulher. O número era ainda menor para quem possuía qualquer conhecimento sobre sua origem ou poderes.

“Meninos! Despertem!”, ela disse, comunicando-se telepaticamente com seus servos, espalhados pelos sete cantos das dimensões, “chegou a hora de cuidarmos pessoalmente da peste que é o loonaverso e suas fundadoras…”

Aqueles que sobreviviam ao encontro com ela, chamavam-na simplesmente de Ruiva, pela forma como seus cabelos flamejavam como fogo conforme ela sorria.

conclusc3b5es-loona-go-won

Eu não achei [++] um álbum ruim, genérico ou maçante, mas senti uma certa homogeneidade entre a sonoridade das b-sides que acabaram enfraquecendo o resultado final. As faixas mais fortes foram realmente as que foram lançadas como singles, sendo que, nas outras três, Perfect Love se destaca mais por conta de suas referências. Mesmo assim, é uma boa introdução para o LOONA e funciona muito melhor que Beauty & the Beat (o que era meu maior medo desde que love4eva lançou). Na lista geral dos mini-álbuns do projeto, minha ordem de preferência ficou assim:

Max & Match
 [++]
Love & Evil
Beauty & the Beat

Mas quem é esta Ruiva?? O que será que aguarda o encontro de todas as integrantes do LOONA quando chegarem a até a lua?? Aguardem o próximo capítulo xD

Confira os outros capítulos da Saga do Loonaverso!!! favOriteyyxy | Olivia Hye | Go Won | Chuu | Yves | Odd Eye Circle

PS: Como A Saga do Loonaverso é a categoria de posts mais vista do blog, eu preparei, agora que não sabemos como será a periodicidade dos lançamentos do grupo, uma pequena e rapidinha pesquisa, com quatro perguntas a vocês e ideias do que posso fazer com a Saga no futuro ^^

 

10 comentários em “[Album Review/Fanfic] LOONA – [++] (ou O loonaverso está cada vez mais próximo de retornar!! Será que todas as integrantes do LOONA sobreviverão ao processo??)

  1. “mas nada de Into the New Heart (o rockzão eletrônico do LOONA 1/3)”

    Na verdade tem sim; o começo de Into the New Heart tem uma voz fazendo um “u-u-u-u-u-u”, e essa mesma voz aparece em ++ depois dos primeiros acordes de dal segno.

    Devo dizer que respeitosamente discordo das suas impressões; pra mim, as B-sides são exatamente as faixas mais fortes do miniálbum, e são bastante diferentes uma da outra em termos de sonoridade (aliás, todas as faixas do [+ +] são bem diferentes entre si; talvez só favOriTe e Heat sejam um pouco mais próximas, mas a pegada tropical house de Heat a diferencia de favOriTe).

    Mas a fanfic tá ótima!! Ainda mais agora com essa ruiva… seria a Chuu despertando (em mais de um sentido)? Afinal, na vida real ela tá ruiva agora…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Gente, foi tão rápido e curtinho a referência a Into the New Heart que nem percebi @.@’… (mas a melhor parte – que era a guitarra – bem que podia ter aparecido :/)…

      Fico feliz que discorde respeitosamente ^^ (é tanta gente apta a vir com hate só porque você tem uma opinião diferente @.@’)… Eu gosto quando acontece, inclusive, porque uma opinião completamente diferente da nossa pode abrir nossos olhos pra uma perspectiva que a gente nunca pensou 😀

      O grande meu problema com as b-sides foi principalmente as referências a sons que já escutei tanto nos últimos tempos que cansei kkk (mas não tinha parado pra pensar em favOrite como parecida com Heat, agora quando escutar vou procurar as semelhanças kkk é justamente isto que tinha falado sobre novas perspectivas xD)

      E muito obrigado pelo elogio a fanfic!!! xD A Ruiva: quem será?? Quem será?? Tudo dependerá do que a BBC apresentará com LOONA/outros grupos mais pra frente… E se a Chuu se manter ruiva 😉

      Curtir

      1. No show delas, o LOONAbirth, teve também uma dançarina que é ruiva… me pergunto se seria ela a ruiva misteriosa do LOONA TV. Até porque ela é da mesma altura da Olivia Hye, que é uma das mais altas do grupo.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Como boa fanfiqueira que sou, estava doida pra ler algo do loonaverso que não fosse só fanservice lésbico

    Ta muito bom, gostei muito

    Não sei se pegou essa referência da ruiva no loona tv, mas achei bem genial se sim

    Gosto muito dos seus textos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu tentei colocar os fanservices lésbicos na fic de forma que soasse mais como representatividade e relacionamentos reais (espero estar conseguindo kkk), fico feliz que esteja gostando xD

      E SIM!!! A referência da Ruiva é do Loona TV!!! Eu acabei não conseguindo escrever isto no post por causa do tempo corrido pra postar no prazo que eu estipulei, mas quando vi que A Ruiva não tinha debutado, já fiquei pronto pra colocá-la na fanfic kkkk

      Muito obrigado pelo comentário e (de novo) pelos elogios 😀

      Curtir

  3. gente, eu so não concordei com o melhor color pop… eu achei hi high o melhor color pop açucarado do ano!! e olha que velha que sou , ja me considero mestre em aegyo desde gee hahahahha adoro seus álbuns reviews ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s