i’M THE TREND, (G)I-dle: Alguém além da Soyeon resolveu compor uma música!

Desde seu debut, (G)I-dle vem seguindo uma estratégia de promoções extremamente estável: dois comebacks por ano, sendo um mini-álbum no primeiro semestre e um single digital no segundo. Os singles do ano também trabalham com uma espécie de contraste, já que um sempre costuma ser um pouco mais sério, como Hann, Senorita e Oh My God, e outro mostra um lado mais cômico e despojado do grupo, Latata e Uh-Oh. Neste sentido, já estamos no segundo semestre de 2020 e, como uma contribuição para o lado mais leve do grupo, temos i’M THE TREND…

Esta é a primeira faixa do grupo em mais de um ano que tem participação de outras integrantes na composição além da Soyeon: Minnie, que já tinha composto e escrito Blow Your Mind, e Yuqi, em sua primeira contribuição. Além delas, o Yuto do Pentagon também participou na construção da música (o que é muito louco porque é um trabalho de uma tailandesa, uma chinesa e um japonês para o mercado coreano!! #globalização). Dito isso, é nítido que, assim como a Soyeon tem um claro estilo de composição (como podemos perceber nas várias semelhanças estruturais entre os singles do grupo), a Minnie também está desenvolvendo seu estilo, trazendo outro bubblegum pop leve, que gruda facilmente na sua cabeça antes mesmo de terminar a primeira ouvida.

Sinceramente, eu amei muito esta faixa e vou rasgar um pouco de seda aqui, porque ela tem muitos pontos altos, principalmente por conta de sua simplicidade, mostrando que “um lançamento para os fãs” não é trabalhar no automático e lançar qualquer demo perdida como um monte de gente faz por aí…

Primeiro, a utilização de vários elementos mais orgânicos, como o piano e os instrumentos de sopro junto com os sintetizadores mais artificiais deram uma boa textura pra melodia, com ela soando agradável e leve, dando destaque para os vocais das integrantes, principalmente os mais agudos (não sei porque, mas esse pianinho me lembrou MUITO umas partes de Bad Girls da Lee Hyori).

Segundo, os raps da Soyeon e da Minnie, no primeiro e segundo verso, respectivamente, são cheios de referências as suas posições contrastantes no imaginário coreano. Soyeon fala de suas participações marcantes no Unpretty Rapstar, no Produce e no Queendom, mencionando sua persona imparável e marcante. Enquanto que Minnie fala sobre o fato dos coreanos se encantarem com ela e acharem que ela é coreana, sendo que ela é tailandesa (isto é muito legal, porque, pelo que eu já vi em doramas tailandeses, o padrão de beleza lá é muito ligado aos fenótipos coreanos, então é como se ela estivesse falando “acham que coreanos são mais bonitos, mas eles me amam sendo toda tailandesa mesmo”) e ainda joga seu nome de nascença no final: Nicha Yonttararak.

Terceiro, o pós-refrão em coro repleto de referências as músicas que elas já lançaram nestes dois anos de carreira:

(OH MY GOD)

I’m gonna BLOW YOUR MIND
And make your everyday LATATA

I’m a queen like a LION
Baby move like wo UH OH
I’m gonna BLOW YOUR MIND
And make your everyday LATATA
Now you’re in my MAZE
You better move like SEÑORITAAAAAA

E, por fim, o clipe com elas se divertindo juntas em meio a esta época de quarentena, numa mistura quase que perfeita do carisma praiano do SISTAR com a despretensiosidade de Do You Love Me do 2NE1.

Sinceramente, este é um lançamento perfeito para o momento em que o grupo se encontra, curtindo um pouco seu sucesso antes de termos o próximo conceito explodidor de cabeças da Soyeon. Dar uma espécie de respiro ao grupo com lançamentos que não se levam tão a sério, melhora a impressão de todos os comebacks mais conceituais, além de deixar as integrantes muito mais relacionáveis para quem não acompanha reality shows e entrevistas (como eu), o que tira, nem que seja um pouquinho, o caráter 4Minute e miss A do grupo, que, muitas vezes, parece focar muito mais na Soyeon e em sua futura carreira solo do que qualquer outra coisa…


PS: Já passou um tempinho que isto explodiu na internet, mas é importante lembrar do que está ocorrendo com os protestos contra violência policial ocorrendo em vários lugares do mundo (inclusive aqui no Brasil). Percebi que é crucial neste momento procuramos nos informar e ajudar como puder (principalmente nos conscientizando sobre racismo). Não estou no meu lugar de fala aqui, mas estou dando o meu melhor para aprender a ser antirracista (é o mínimo do mínimo que posso fazer sobre tudo isso). Se você quiser/puder ajudar, clica aqui e dá uma olhada nos links do Black Lives Matter, compartilhando se possível. Em relação a conscientização, eu vi um vídeo muito bom falando sobre racismo para dar os primeiros passos para ter atitudes antes antirracistas, clica aqui pra dar uma olhada. Muito obrigado por ler o post até aqui!

3 comentários em “i’M THE TREND, (G)I-dle: Alguém além da Soyeon resolveu compor uma música!

  1. A faixa é bem legalzinha, veraneia, e dá para ouvir quando vier no shuffle sem problema algum. A ínica coisa que me incomodou um pouco foi o refrão, a letra é criativa, mas a forma como é cantada fez soar meio fora do lugar.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s