13 anos de SNSD… E a maldição de Jessica Jung! | Águas Passadas 002

Existe uma lenda, não faz muito tempo, em que um girlgroup debutou e transformou totalmente a indústria com seu formato e a pré-disposição para brigas sinceridade de suas integrantes. De acordo com esta história, passada de geração em geração, nove musas desceram do império estelar para comandar os anais do pop coreano e ditar o que seria considerado hino e o que seria considerado flop, assim como estabelecer ships lésbicos descentes a rivalizar com os ships gays de nugus como EXO, Super Junior e BTS… De acordo com a lenda, elas debutaram há 13 anos Entrando em um Novo Mundo… Mas sabemos que tudo isto é mentira, afinal o Girls’ Generation tem 8 integrantes e debutou com Gee em 2009!

Fanfics e fake news a parte, todo o caso midiático do envolvendo a saída da Jessica do SNSD é histórica, em vários sentidos. De fato, mudou algumas dinâmicas no k-pop, principalmente em grupos femininos, e no caráter personalíssimo que a Coreia enxerga os grupos. Antes da saída da Jessica, só me vem a mente três casos históricos de line-ups femininos famosos com problemas, o KARA, o T-ARA e as Wonder Girls, e todas precisaram tentar o máximo de estratégias possíveis pra tentar minimizar os danos e as fofocas, com as integrantes que saíram falando coisas nas entrelinhas e a empresa tentando fazer a marca funcionar ainda, seja em outro país ou deixando a história esfriar com o grupo ficando alguns anos no porão.

Mas, com o Girls’ Generation, a SM tinha MUITO a perder. Ela tinha se tornado um dos maiores players do mercado de novo em muito pouco tempo e, em 2014 (o ano em que a Jessica saiu) o k-pop passava por uma transformação que levou boa parte dos girlgroups que debutaram antes de 2010 para o flop. Sem contar o fato que a outra marca feminina da empresa estava pior ainda, considerando o quão inconsistente foi a trajetória do f(x) depois da saída da Sulli.

Então o que a empresa me faz? Taca o foda-se e lança a mão de um delírio coletivo.

Uma espécie de botão ligou em todo mundo envolvido e, agora, o Girls’ Generation tem oito integrantes, como os lados de um diamante. Isto, de certa forma, deu certo, considerando que a marca continuou forte o suficiente no comeback subsequente (vamos lembrar que a ridícula Party e o guilty pleasure Lion Heart figuraram no top 5 dos charts), e que a carreira solo da Taeyeon e da Tiffany alçaram voo (pelo menos, no caso da Tif, por um tempinho).

O problema é que ninguém engoliu isso, até elas estavam entre as mais sinceras do k-pop da época em variety shows, e a Jessica começou a criar polêmica e teorias sem nem precisar mover um único dedo.

Foi ter um single com o nome PARECIDO com o da Taeyeon, mencionar que fazia dez anos de carreira na mesma época que o grupo fazia dez anos de carreira (por óbvio), ser amiga de um biógrafo, existir um grupo novo com alguém que era parecida com ela (que vontade agora de linkar a fanfic de Géssika e Amigas do ASIANMIXTAPE)… A própria EXISTÊNCIA da Jessica parecia uma polêmica andante, o que faz todo o sentido, já que a empresa fingiu que ela nem existia no grupo.

Mas o mais interessante disso tudo é que a própria parece não se importar muito, sendo que entrou muito mais na onda de ser uma empresária do que ser uma artista. Seja bancando a cantora, a youtuber e, futuramente, a autora (estou muito ansioso para ler a biografia do Girls’ Generation Shine xD), a carreira artística parece ter virado mais uma forma secundária de criar buzz do que qualquer outra coisa. E, sinceramente, acho que isto foi mais um desejo da própria Jessica do que um resultado do que os termos do contrato fizeram ela passar (com restrição na promoção em Music Banks e tudo mais).

Na verdade, se você for parar pra pensar, as únicas que parecem interessadas em fazer uma carreira musical realmente acontecer é a Tiffany e a Taeyeon mesmo.

De toda forma, acredito que o sucesso que a Jessica ainda cultiva (não é qualquer uma que consegue meio milhão de inscritos em seis meses, contrato escrever um livro com ampla divulgação e adaptação cinematográfica garantida, sem contar em toda a linha de bolsas da empresa dela) se tornou uma inspiração para idols femininas em boa parte do k-pop. Cada vez mais, temos mulheres com menos receio de deixar os grupos e seguirem solo ou em outros setores da indústria, e o primeiro caso notório disso é a Jessica (o que é bizarro, considerando que, na época, parecia muito mais provável que estrelas quase-solo como CL, HyunA e Suzy que iriam seguir esta trajetória).

“Águas Passadas” foi o nome que eu pensei agora no calor do momento (combinado com o nome do blog, na mesma vibe que “Fundo do Mar“) de escrever um pouco sobre a Jessica e o Girls’ Generation neste dia especial (pelo menos pra mim, que descobri k-pop há nove anos com a aparição de Gee no Top 10 MTV Ásia), que meio que se trata de falar de curiosidades e refletir sobre o passado do k-pop, como Time Machine do Lunei e do Gui, e as Reviews Retrô do Dougie. O post de Gee que eu fiz no comeback definitivo do blog entraria em cheio nesta categoria e estou elaborando um focado em nada mais nada menos que Abracadabra, das Brown Eyed Girls.

Sobre o Girls’ Generation, coloquei o This Is do Spotify aqui pra tocar e fiquei pensando … Acho que logo mais este delírio coletivo acaba, seja com a publicação de Shine ou com o vencimento de cláusulas contratuais da SM, não acredito que elas vão manter isso por si próprias por muito mais tempo, mais por cansaço de manter a fachada mesmo.


PS: Já passou um tempinho que isto explodiu na internet, mas é importante lembrar do que está ocorrendo com os protestos contra violência policial ocorrendo em vários lugares do mundo (inclusive aqui no Brasil). Percebi que é crucial neste momento procuramos nos informar e ajudar como puder (principalmente nos conscientizando sobre racismo). Não estou no meu lugar de fala aqui, mas estou dando o meu melhor para aprender a ser antirracista (é o mínimo do mínimo que posso fazer sobre tudo isso). Se você quiser/puder ajudar, clica aqui e dá uma olhada nos links do Black Lives Matter, compartilhando se possível. Em relação a conscientização, eu vi um vídeo muito bom falando sobre racismo para dar os primeiros passos para ter atitudes antes antirracistas, clica aqui pra dar uma olhada. Muito obrigado por ler o post até aqui!

6 comentários em “13 anos de SNSD… E a maldição de Jessica Jung! | Águas Passadas 002

  1. Espera, as Wonder Girls tiveram treta interna? Sei que elas tiveram várias mudanças na formação, mas pelo que li, todas as saídas tinham sido amigáveis, inclusive com a Sunye e a Sohee gravando uma conversa com as ex-colegas para o Reboot e a Hyuna comentando em entrevista que ficava muito feliz sempre que ela e as Wonder Girls se encontravam nos bastidores de music shows, pra colocar a conversa em dia…

    Sobre a Jessica, o que me deixa curioso é se a briga dela foi só com a SM ou também com as ex-colegas – e, no segundo caso, por que a briga teria acontecido. Quer dizer, agora que outras três integrantes saíram da agência (supostamente continuam no grupo, mas vamos ser realistas: alguém realmente espera ver um novo lançamento com todas as oito juntas?) e vemos foto delas comemorando o aniversário do grupo com as cinco que continuam na SM, mas a Jessica ausente da comemoração, fica a impressão que a treta foi mais pessoal que apenas uma questão contratual…

    Curtido por 2 pessoas

    1. A treta creio que foi com as integrante, pq na época a Jéssica já trabalhava solo com a marca e as meninas focavam mais no grupo (Mesmo com as atrizes já tendo seus solos em séries), até pq os trabalhos solos das integrantes como idols veio após do Lion Heart. E se levarmos em conta que a Jéssica saiu do grupo, mas manteve contrato com a SM por um tempo até expirar, então dá para juntar os pontos do que possivelmente aconteceu.
      Mesmo com o lançamento do Shine, eu não acho que teremos mtas revelações

      Curtido por 1 pessoa

      1. Eu sempre interpretei que teve algo meio com a empresa… Sei lá, parece ser muito fanfic esse rolê de “ela brigou com todas”, são oito pessoas, que sempre brigaram, dificilmente ia ter um consenso entre elas pra não mencionar a Jessica…
        Sobre as WG é mais com as situações do que com as integrantes em si. Quando uma delas saiu do grupo em 2010, os planos da JYP de debutar nos EUA foram por água abaixo (ele já tava com contrato pra ter uma série delas na Nick pra vc ter uma noção), assim como o retorno triunfal delas na Coreia teve que parar depois que uma delas se casou em 2012/13… Tipo, até que foi pacífico, mas teve muita troca de intrigante que dificultou a consistência que o grupo provavelmente teria se o line-up fosse mais estável

        Curtido por 1 pessoa

  2. Fico frustrada em pensar que parte dos kapopeiros novos que ingressam pelo BTS/BLACKPINK, não dão a mínima pras histórias passadas, quer dizer, a segunda geração num geral pavimentou todo o caminho pra terceira, e ainda teve os melhores barracos pré internet (vc consegue imaginar hoje em dia a polêmica que seria se uma idol postasse sem querer em uma rede social uma foto de pijama com um outro idol sem camisa deitados na cama dela?? Obviamente que a IU e o Eunhyuk do SJ não saíram ilesos, mas se fosse hoje em dia alguém com certeza ia ter que sair de um grupo).

    Não gosto de ser a tia azeda do passado, mas a forma como o kpop se moldou hj em dia, estragou algumas coisas legais do passado, e o povo não quer mais saber de legado.

    P.s: quem é a integrante de Gfriend que é a cara da Jéssica?? Não consigo visualizar isso… talvez a SinB??

    Curtido por 2 pessoas

    1. Eu concordo muito!!! Não que não seja legal ter coisas um intercâmbio maior com as modinhas do ocidente em certa parcela, mas, sinceramente, algumas coisas no k-pop ficaram sérias e artificiais demais (alguns variety shows do passado pareciam bem mais sinceros que os de hoje), com boa parte dos grupos tendo um certo receio de ser meio vergonha alheia (o que dava um pouco de leveza pra tudo) e sair do que “faz sucesso” (que na verdade não faz né? Com tanta gente emulando BlackPink e BTS não vi nenhum estourar assim)

      PS: Siiim é a SinB, o ASIANMIXTAPE tinha um post analisando Rough que era uma fanfic como se a Jessica tivesse se juntado a outro grupo pra tirar o pódio do GG na época

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s