Still 2gether EP. Final: Encerramentos desconexos, beijos e fanservice | BL Review

E chegamos a última review de Still 2gether! No episódio anterior, boa parte dos erros que a trama estava cometendo foram corrigidos, só que, como resultado, resolveram boa parte dos conflitos… O que sobrou para o episódio final além de fanservice na praia? Vamos descobrir…

Existe um conceito na literatura denominado de denouement que costuma ser traduzido como “desfecho”. Não é uma das melhores traduções, já que o denouement costuma trazer mais do que uma simples resolução da trama (talvez um termo melhor fosse “epílogo”). Neste momento da narrativa, o conflito principal já encontrou seu fim, o que, numa comédia romântica de final feliz, significa que o casal finalmente ficou junto.

Mas isto não é o suficiente para finalizar uma boa estória.

Depois de acompanharmos todos os altos e baixos de um casal a se formar, é importante termos uma visão, mesmo que mínima, de como o casal se comporta junto. Dá uma sensação de recompensa ao todo assistido e ajuda o público a criar ainda mais simpatia pelo casal. Todo o especial poderia ser considerado este momento (pense em como o SarawatTine soa muito mais fofinho e natural agora do que no final de 2gether), mas, em um aspecto micro, considerando os pequenos conflitos que fomos discutindo nestas semanas, este seria O Episódio do Denouement, com D maiúsculo.

Tramas de praia costumam ter este caráter descompromissado de filler, seja em BLs ou em animes, então colocar todos os personagens em um ônibus e levá-los para este ambiente no final da trama foi algo bem natural. Os únicos casais com um mínimo de tensão são DimGreen e BossPear, então eles que ditam o correr da trama durante todo o episódio, por mais que tenham colocado a questão do aniversário de namoro do Sarawat e do Tine na jogada.

As brigas entre o Dim e o Green foram divertidas, meio fúteis e criaram o contexto necessário para umas cenas de fanservice (como todos os casais emulando Crossing Line num jogo de vôlei 💖). Descoberto o motivo real da briga, sobre o nome de quem vem primeiro, ele soa meio bobo, mas, ao mesmo tempo, combina com a dinâmica do casal e até traz um leve questionamento pra quem estiver procurando (afinal, já parou pra pensar que sempre colocamos o nome do “ativo” primeiro no ship?). Não é nada perfeito ou super complexo, mas combina com o começo da narrativa (que é o Tine falando do Sarawat pro canal de Youtube deles, lembra?), e dá razão para a afeminada na briga, o QUE É ALGO PERFEITO E ESPERAREI ACONTECER MAIS VEZES.

Mas o resto das pontas soltas da trama… Bem… Foi meio porco…

Eu sei que pelo próprio fato de ser meio que um epílogo descompromissado da série principal, não deveríamos ter muitas expectativas, só que as pontas foram amarradas de uma forma frouxa. BEM frouxa para o que eles poderiam ter mostrado.

O final do casal da Pear com o Boss foi triste (o jogo de palavras foi bonitinho na areia, de toda forma). Ela nem conseguir entender que ele se declarou pra ela foi um desperdício de momento, cenário e atuação. Não que ele tinha de confessar todos os seus sentimentos de bate pronto, só precisava mostrar que ela entendeu pra cena final dos dois soar como uma confirmação tímida de que um gosta do outro. No final, só ficou meio desconexo, considerando que estamos sendo acompanhando a formação deste casal desde o episódio 2…

De toda a forma, Love (a atriz que fez a Pear) conseguiu mostrar todo o seu carisma neste especial. Ela facilmente consegue segurar uma lakorn romântica hétero como protagonista e eu assistira tranquilamente, mesmo com minha atual preguiça de qualquer história hétero, que a GMMTV perceba o talento da gata e dê papeis decentes pra ela.

Quanto à tensão entre o Mil e o Sarawat, depois de ele descobrir do namoro do irmão, foi um pouco… rápido? Até que nos três minutos de conversa entre os dois escreveram um bom diálogo, com o Sarawat referenciando as palavras do Mil e ameaçando ele *sutilmente* com uma faca de churrasco. Mas… Foi muito rápido. Não refletiu bem a tensão que prometia, faltou alguma conversa entre o Sarawat e o irmão dele, mesmo que o Tine tentando falar sobre isso com o Phukong tenha ficado legal, não substituí.

O resto foi um pouco de fanservice e um pouco de denouement, fazendo valer a pena a espera de vermos os casais interagindo tranquilamente. O Man e o Type, como sempre, roubaram a cena e já estão escalados como casal no BL que vai ser protagonizando pelo Khaotung (o ator que faz o Fong). O papel deles na trama do especial foi um dos pontos mais altos de toda a história e quase todas as cenas dos dois foram muito bem escritas e atuadas. Mal posso esperar pra vê-los novamente.

Quanto a Mil e Phukong, mantenho o meu ponto da review do episódio 4: provavelmente eu vou dar uma chance pro dorama que eles protagonizam só pra ver eles se desenvolverem como casal de uma forma menos corrida. Os dois tem química, mas o roteiro trabalhou contra eles, demorando muito pro casal se assentar e perdendo toda a tensão romântica no processo.

Earn e Fong foi… Nada, né? Jogaram o casal do nada no final do episódio anterior e mostraram quase nada agora…

E, por fim, a cena final com a música do Tine e o famigerado beijo foi boa, fofinha e meio… desconexa? Poderiam ter colocado dentro do contexto da praia e não cortado pra uma cena aleatória. De toda a forma, o beijo demorou, mas valeu a espera. Foi a declaração final de que o dorama NÃO É um bromance e que Bright e Win podem entrar tranquilamente na indústria do BL… Por uma semana, já que saiu esta semana que eles vão fazer a próxima adaptação de Boys Over Flowers… Mais hétero impossível.

Still 2gether soa vazio e raso numa primeira olhada, mas lembrando o quanto a série principal acabou decepcionando os fãs na reta final, foi algo essencial para o dorama deixar sua marca num ano em que temos um monte de lançamentos de nome (pensem que ambas as adaptações famosas da MAME estão ganhando continuação este ano). Não foi perfeito e teve várias derrapadas no meio (principalmente no casal MilPhukong), mas o resultado final foi algo digno de nota, principalmente por aproveitar pontos inesperados da trama principal (como a relação entre Dim e Green) e melhorar a tridimensionalidade dos personagens. Acho que é a primeira vez que vejo usarem este formato de especial de uma forma inteligente que realmente agrega algo para a trama. Vitória!

Junto com a série principal, não chega a entrar na minha lista de BLs preferidos, mas valeu a pena assistir. Foi um bom expoente para o ano e uma utilização inteligente dos clichês sem soar derivativo e genérico. Só é uma pena mesmo que toda a promoção o especial já foi cortada pelo anúncio do Bright e do Win no F4 nesta semana… Não acredito que tenha uma segunda temporada (nem é necessário, mas seria legal), ainda mais que já estão associando os dois a outro programa hétero tão rápido.

E esta foi uma jornada surpreendentemente assídua e organizada aqui pro blog (foi a PRIMEIRA VEZ que consegui manter uma rotina semanal de reviews, com toda quinta saindo a análise do episódio da semana anterior)! Não vou mentir e fiquei super orgulhoso de mim mesmo, por mais que as views não tenham sido maravilhosas (a review do episódio 1 deu uma hitadinha pros padrões do blog, mas daí pra frente foi flopando kkk). Então, já ressalto: MUITO OBRIGADO por ler até aqui e acompanhar estas reviews! 💖 O que você achou de Still 2gether? Gostou das reviews?

Para quem acompanha também as análises de k-pop aqui, eu sinto que, depois de bater a cabeça tentando emular os posts de j-pop do Dougie, do Lunei e do falecido ASIANMIXTAPE (como começar um projeto megalomaníaco de resenhas da Namie Amuro sem nem curtir tanto ela na época), eu finalmente encontrei um novo pedacinho dos meus gostos que trazem uma diferença bem-vinda pra rotina capopeira do Aquário Hipster. Tem muito ainda a se explorar (hoje, acredito que esta busca por autenticidade é um processo contínuo… tem uns dois tipos de posts mais “diferentes” que já tenho em mente pra postar no futuro), mas fiquei bem feliz.

Quanto às BL Reviews, pretendo continuar escrevendo e postando, até porque ficou mais divertido assistir BLs pensando um pouco em estrutura de estória ficcional kkk Só não sei ainda do que escrever (pensei em uma review do Gameboys, mas tô enrolando pra ver o episódio final… Não quero que acabe T.T kkk), mas isto eu vou ajustando a cada post semanal (ou quinzenal, vou tentar manter uma frequência depende do quanto conseguir escrever e assistir) sobre BLs xD

PS: Sobre as reviews da Namie Amuro, elas estão tendo um número considerável de visualizações nos últimos dias, então estou planejando revisar os textos e começar a repostá-las pra terminar com as reviews os seis álbuns restantes ^^

PSS: Dá uma conferida nas reviews dos outros episódios de Still 2gether:

Still 2gether EP.1: Consertaram o personagem do Sarawat?

Still 2gether EP.2: Passivos VS Ativos

Still 2gether EP.3: A primeira derrapada… De novo!

Still 2gether EP.4: Um anime de esporte com bons figurinos

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar indicações e comentários aleatórios de k-pop, BL e uns desenhos: @AquarioHipster

6 comentários em “Still 2gether EP. Final: Encerramentos desconexos, beijos e fanservice | BL Review

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s