One (Monster & Infinity), SuperM: Vingadores, fusão de músicas meia boca e muito cropped

Eu planejava postar sobre outro lançamento hoje, mas ficaram falando até que bem do lançamento de hoje do SuperM, o que me deixou chocado. Isto, mais com a notícia ontem de que eles vão ter uma parceria com os Vingadores (sim, da Marvel), me fez dar uma olhada no lançamento deles de bate pronto, ao invés de enrolar e ver só semana que vem no final do mês pro Fundo do Mar de Setembro…

Sendo sincero, vendo a movimentação da internet nisto aqui, eu percebi que meu descaso pelo SuperM é gigante kkk Eu não seguia direito a carreira de nenhum dos membros em seus respectivos grupos de origem direito (menos do Taemin… Rei, apenas) e não reconheço a cara de metade das pessoas aí. Além disso, eu perdi completamente o timing do “debut” deles do ano passado (que só ouvi este ano).

Em resumo, as chances de eu deitar pra qualquer coisa deles é bem pequena, porque não tem muita conexão minha aí. Não sei se você já sentiu desta forma, mas é bem comum ter algum ato x ou y que um monte de gente elogia/critica e você fica “ah ok”? A sensação é meio que esta…

Dito isto, a música está até que divertida e ok. Ela trás um caráter meio apocalíptico que se esperaria deste megazord de boybands desde o começo e FINALMENTE para de se sustentar nos raps pra se manter completa. Pelo que vi, ela é a junção de duas músicas bem meia boca, ao estilo de Sherlock lá em 2012 (só que ShiNee + Jessica dá uma elevada em qualquer coisa, né?), e, estranhamente, ela me traz uma sensação de lançamentos “futuristas” de boybands do final dos anos noventa, principalmente por conta do refrão num coro HARMÔNICO (pra variar) imitando música de videogame que toca na batalha contra o chefão final (e pela referência a Matrix na letra motivacional).

O clipe mantêm as referências aos clipes de caixa da SM com uma pegada futurista, intercalando bem os shots de CG com a coreografia e não tão bem com a propaganda do celular (é um dos product placement mais óbvios desse ano no k-pop). Fiquei um pouco chocado que decidiram colocar uns quatro carinhas com cropped, ao invés de ficar só no Kai, e, por incrível que pareça, nem chegou a fazer tanta diferença pra mim.

E, claro, Taemin merece só elogios e comanda todo este negócio com maestria, assim como a Kylie Minogue comanda os lançamentos disco retrô em qualquer demo que lance neste ano em que a moda disco está voltando ao mainstream (isto foi apenas um parágrafo pra panfletar o novo single maravilhoso dela? Claro u.u kkk).

Exclusivo: SuperM detalha lançamento do 1º álbum "Super One" e fala sobre  visita ao Brasil | | POPline

Na minha opinião, o SuperM é uma certa incógnita. Ele funciona como um boygroup retrô autorreferencial do que a SM já fez com o EXO, TVXQ, ShiNee e SuperJunior, ao mesmo tempo que é um ato que está mirando no genérico estadunidense pra virar mania do outro lado do globo. A longa tracklist deste full album deles é uma prova disto, pois (considerando o que eu ouvi agora) mistura as tendências trap barulhentas e tropical house, com os típicos números R&B eletrônicos que associamos a qualquer ato da SM.

É um lançamento até que sólido e agradável que vai agradar boa parte dos fãs de qualquer um dos grupos envolvidos (ou até de boybands, em geral), mas, comigo, é só um lançamento ok que, provavelmente, terei preguiça de ouvir de novo.

Sem contar que é uma palhaçada este negócio de Vingadores do K-pop, né? Isto me lembra muito a época da Marvel antes de ser vendida pra Disney, em que os Vingadores eram tratados nos quadrinhos como os super-heróis Mais Famosos do Mundo 👁👄👁 …Mas eram péssimos em vendas dos gibis quando comparados a grupos como os X-Men e o Quarteto Fantástico (que, até considerando questões de representatividade e estórias de qualidade, são bem superiores a Homem de Ferro e sua Patotinha até hoje).

Falávamos há um tempo que o LOONA era os Vingadores do k-pop. Mas, parando pra pensar, elas são mesmo é os X-Men: cheias de pseudorepresentatividades e “críticas abstratas” à sociedade contemporânea. Tudo bem que agora elas estão passando por uma fase sombria em que o roteirista é o próprio Lee Sooman (parecido com a run dos anos noventa/começo dos anos 2000 dos quadrinhos dos mutantes que era uma porcaria cheia de testosterona), mas é capaz de elas terem um retorno triunfal, assim como quando o Joss Whedon assumiu um título dos mutantes em 2004 e deu protagonistmo pra Kitty Pride.

Agora, quem será o Quarteto Fantástico? Seria o f(x), já que a Marvel simplesmente parou DO NADA de produzir aventuras deles (assim como a era inexistente pós-4 Walls) porque não tinham os direitos cinematográficos?

Fica aí a reflexão… (e a indicação pra lerem o post do Fernando teorizando em cima do comeback do LOONA).

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar indicações e comentários aleatórios de k-pop e BLs, com tweets ocasionais de artes e reflexões político filosóficas: @AquarioHipster

5 comentários em “One (Monster & Infinity), SuperM: Vingadores, fusão de músicas meia boca e muito cropped

  1. Boa comparação essa entre os Vingadores, X-Men e Quarteto Fantástico. Acho que não é segredo que depois da aquisição da Marvel pela Disney, os Vingadores começaram a ser promovidos escancaradamente enquanto os X-Men e Quarteto eram cada vez mais jogados pra escanteio, tudo porque a Disney não tinha os direitos cinematográficos das duas superequipes… o crossover Vingadores vs X-Men nos quadrinhos foi talvez o caso mais vergonhoso, em que a Marvel começou jurando que as duas equipes seriam tratadas de forma igual e terminou fazendo tudo que podia pra forçar os X-Men como os vilões da história e os Vingadores como os heróis (e mesmo assim a maioria dos leitores continuou torcendo pros X-Men, o que não adiantou já que eles terminaram de forma horrível na história).

    Sobre a comparação do LOONA com os Vingadores, acho que tem a ver mais com a questão de diversidade: enquanto o Quarteto é basicamente uma família e os X-Men são uma espécie, os Vingadores são heróis com as mais diversas origens (humanos normais com armaduras tecnológicas, divindades mitológicas, experimentos científicos, místicos, alienígenas, etc.) – da mesma forma, o LOONA tem quatro colegiais normais, uma ciborgue/androide (depende pra quem perguntar) que depois se torna humana, três mutantes/aliens/místicas possivelmente vindas da Lua, e quatro anjos caídos que fugiram do paraíso (e que podem ter sido uma única pessoa em certo momento)…

    Curtido por 2 pessoas

    1. EU sou uma das pessoas que torceu para os X-Men em Vingadores vs. X-Men kkk Apesar de vários avanços em representatividade, foi uma tristeza ver como vários títulos da Marvel ficaram mais ou menos nos últimos anos (acho que, ultimamente, só a Kamala Khan se salva e olhe lá), muito porque eles forçam a “diversidade” enquanto a marca do herói (usando como propagando pro título) e não só como uma das partes da vida dele (como a DC rainha tá fazendo com várias de suas personagens) – mas confesso que gostei da morte do Xavier no final de VxX… Odeio ele kkk

      Isto da comparação do LOONA com os vingadores até que é verdade… E todo o rolê de solos lembra um pouco a estratégia que a Marvel fez nos cinemas pra criar hype pro grupo kkk Mas confesso que, parando pra pensar, esta mistura do LOONA mais parece o Sailor Moon (com junções bizarras entre aliens e garotas mágicas) kkk

      Isto de “depende pra quem perguntar” me lembrou que a minha fic ia ainda mais longe estes rolês: as Jins eram wiccas, a HaSeul era uma fada, a Yeojin era princesa mágica, a Vivi era androide, a Kim Lip era elfa, a JinSoul era sereia, a Choerry era vampira, a Yves e a Olivia era um anjas, a GoWon era uma bruxa e a única humana MESMO era a Chuu kkkk

      Curtir

      1. Sim, saudosa fanfic! Quem sabe um dia você resolve fazer um prólogo dela com as desventuras das 1/3, com cenas como a da HaSeul matando o lado masculino dela (sim, por mais bizarro que pareça, aquela HaSeul de peruca loira curtinha, vestido de plumas e salto alto é o lado MASCULINO dela)…

        Quanto à Marvel, fico feliz em ver como, depois que a Disney comprou a FOX, ela finalmente começou a tentar devolver o prestígio aos X-Men e ao Quarteto, que foram muito injustiçados nos quadrinhos nas últimas décadas. Os X-Men finalmente estão nas mãos do mesmo escritor que entregou as melhores histórias modernas do Quarteto e dos Vingadores, e apesar do Quarteto não estar na sua melhor fase (que foi nas mãos desse escritor, o Hickman), está numa fase bem acima das que vinha tendo e inclusive coestrelou a saga do ano junto com os Vingadores (e sem serem colocados como os heróis inferiores ou errados dessa vez).

        Triste que nas tentativas da Disney/Marvel de afundarem as duas franquias nos quadrinhos quando os direitos cinematográficos delas estavam com a FOX, eles tentaram forçar os Inumanos como substitutos dos X-Men e acabaram fazendo boa parte dos leitores pegar ranço dos Inumanos (o que é uma pena, porque eles também são personagens bastante interessantes)…

        Curtido por 1 pessoa

      2. Na verdade, eu estava pensando em voltar a fic reestruturada de uma forma mais organizada (com arcos de estória e tudo mais), ainda mais depois do seu post ressuscitando umas teorias, fiquei mais empolgado ainda kkk (esta do lado masculino não hetero-normativo é uma delas xD)

        Eu confesso que depois do Império Secreto eu acabei me perdendo em acompanhar (tanto que doei as revistas que tinha de Guerras Secretas esses dias), parece que tem tanta megassaga que nem dá mais pra ler a evolução dos personagens dentro de seus universos… Não sabia que o Hickman estava escrevendo os X-Men e o Quarteto, acho que vou dar uma olhada depois se estiver empolgado kkk (nossa, sucesso darem um pouco de valor pra eles, né? O Reed sempre ficava meio doido, a Sue tinha razão e era super poderosa mas esqueciam elas no churrasco… Só colocavam o Coisa e o Tocha Humana fora do contexto e olhe lá).

        Os Inumanos foi triste, porque tentaram deixar eles o mais X-Men possível com aquela coisa das névoas terrígenas. E a única inumana que realmente parece legal é a Kamala mesmo (inclusive é irônico, mas com certeza ela seria uma mutante se tivesse debutado há uns cinco/dez anos atrás), todo o diferencial meio estórias de nobreza foi bem esquecido na bagaça… E é incrível que cheguei a ler a primeira run deles nessa fase e a última escrita pelo Charles Soule (que cuidou de tudo por uns bons anos). Fiquei até meio coração mole quando acabou, mas senti que levaram os personagens pra lugares bem menos interessantes que poderiam…

        Curtir

  2. “Não sabia que o Hickman estava escrevendo os X-Men e o Quarteto, acho que vou dar uma olhada depois se estiver empolgado”

    Ele está atualmente escrevendo os X-Men (inclusive as duas minisséries interligadas que ele fez pra dar início à fase dele com os X-Men formam uma história única impressionante); o Quarteto acho que já faz uma década que ele escreveu (foi antes da fase dele com os Vingadores, que veio logo após VvsX).

    A era dele com o Quarteto foi ótima, por sinal; Reed tendo seu lado emocional explorado, Sue bem proativa praticamente liderando a equipe, teve a vinda do Franklin do futuro (mas sem ser o marido da Rachel Summers) que era um personagem muito interessante, e por aí vai.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s