Fundo do Mar (Outubro’20): Girls’ Generation, ChoA, K/DA, CL, Seventeen e mais…

Se você acompanha o resto da Blogosfera (caso não, saiba mais aqui no canto direito do blog), deve ter percebido que vários dos blogs fazem várias atualizações em finais de semana. Eu tento, mas nunca consigo tempo hábil pra terminar posts (eu costumo usar este tempo pra desenhar porque na semana é mais difícil pra focar em desenho) e agora que o compilado gigante de lançamentos do mês caiu neste período, foi complexo kkk

Enfim, estou meio pensativo e reflexivo sobre as coisas, num equilíbrio de good com bad vibes (enquanto me vicio em Umbrella Academy e tento descobrir como não me entediar jogando The Sims), mas sem cabeça pra organizar isto num post reflexivo como costumo fazer. Então vou dar o meu melhor pra comentar as coisas aqui pra esfriar a cabeça de reflexões (ou não… kkk Afinal, rainha Jolin está aí pra nos lembrar que é normal e importante ter uns dias mais pra baixo).

DRUM, Checkmate

Começando com grupos que brincam com a pan/bissexualidade, temos o debut do Checkmate, que cometi o crime de esquecer no mês passado. E eu disse isto não apenas por estar acompanhando o projeto desde o pré-debut (e eu NUNCA faço isso kkk), mas porque o grupo conseguiu mirar exatamente onde seria estratégico: fãs do KARD.

Numa batida de reggaeton, misturando raps de dois carinhas com melismas vocais de duas garotas e um carinha, Checkmate traz um ótimo single que o KARD desovaria há uns dois anos atrás. Segue a onda de latin pop, mas traz o pulso apocalíptico que boa parte de todo mundo que tenta emular isto na Coreia esquece. E, de bônus, temos um clipe com beleza e carisma esbanjando, boa distribuição visual entre os integrantes e referências a xadrez (que se liga ao nome do grupo). Um debut competente que mostra muito potencial não só do grupo, mas do gerenciamento da empresa envolvida.

Hmph!, WJSN Chocome

Eu estava muito ansioso para isto aqui… Mas, sinceramente, depois de ver o clipe, entendi que toda esta expectativa para qualquer ato novo emulando o Orange Caramel é meio balela. Não adianta querer um novo Orange Caramel agora, os tempos são outros e o apelo do grupo original conversava muito com a explosão de conceitos aegyo no k-pop da época. Na real, um “Orange Caramel atual”, seria um que tirasse onda do girlcrush barulhento. Eu sempre tive um pouco de preguiça do discurso que vangloria uma geração em detrimento de outra (algo como “ai, o k-pop agora é muito ruim” e vice-versa), porque parece muito unidimensional na minha opinião.

No fim, Humpf! não ofende nem acerta. É uma tentativa extremamente forçada de emular o Orange Caramel (existem referências a praticamente todos os clipes do trio aí, desde a cauda de sereia de My Cantanella até os laços gigantes de Magic Girl) que não consegue eclipsar a magia de antes justamente por ser lançada no contexto de agora com novinhas (se tivessem velhas de guerra envolvidas a história seria outra)… Eles só podiam ter feito uma das subunits do grupo que prometeram no debut… Era simples…

+HWA+ e +5 Star+, CL

CL tinha muita expectativa sobre si, depois de se mostrar vunelrável e sincera em seu álbum de livertação do ano passado (um dos melhores EPs de 2019, com certeza). A volta das integrantes do 2NE1 ao cenário está sendo bem divertida de acompanhar, conseguindo ser nostálgica e super atual ao mesmo tempo (e provando que o azar que a Minzy teve indo solo não foi aplicado a todas bem depois de uns bons anos de porão). Se a Bom trouxe power ballads ainda mais melancólicas e reflexivas que seus solos na YG, CL conseguiu trazer um número de hip-hop ainda mais leve e despretensioso que qualquer das bombas que gravou quando esteve na empresa do BlackPink.

+HWA+ consegue me lembrar do estilo inicial do Black Eyed Peas ao mesmo tempo que grita a moda de trap atual. Os coros deixaram a faixa mais épica, mas deu pra ver que este foi só um gostinho do que ainda está por vir, porque a música ainda se mantem na mesma batida por quase toda sua duração. Eu espero que venha algo bem apocalíptico como single quando o full album dela, ALPHA, lançar.

Não vou por o vídeo da baladinha aqui (até porque é mais um gif com o título da música do que um vídeo em si), mas ela foi essencial para manter uma profundidade para a persona da CL, dando um gosto mais real do que efetivamente vai povoar a tracklist deste futuro álbum. +5 Star+ lembra muito o EP do ano passado em estilo e tempo na melodia, o que é um grande alívio pra mim, que gostei de ver um pouco deste lado vulnerável por trás da grande fodona.

A CL era a que eu menos gostava no 2NE1 e ela está conseguindo me conquistar cada vez mais (o fato de ela manter os + nos títulos da música me agradou muito, inclusive). Já a Minzy, que era minha preferida…

Revolution, AleXa

Eu nunca fui muito ligado a Alexa, mas aí o Gui do Palpites Alheios pontuou o potencial fanfiqueiro dela e bem… Me acertou em cheio. Visualmente, ela acerta tão bem que parece piada. A estória, os takes de coreografia, os figurinos, tudo casa muito bem e combina com a sonoridade mais eletrônica e industrial a que ela se propõe. Revolution pega o moohbaton no refrão e mantem algo mais eletrônico nos versos (com um sintetizador bizarro de doer o ouvido…) conforme ela filosofa sobre uma revolução da mente e te convida a abrir seus olhos. É uma pena que o sintetizador dos versos não caiu no meu gosto, porque o resto tá MUITO on point.

Poison, Dahye

BesTie lançou um dos melhores EPs que já escutei no k-pop logo antes de disbandar. Eu até que estava com expectativas médias para isto aqui. O que mais achei incrível, na verdade, foi que, mesmo tacando um instrumental de latin pop (acredito que isto aqui é valenato, mas não tenho certeza) a música ainda grita Uhm Jung Hwa. Isto é o que eu chamo de marketing pessoal…

Por pegar um estilo mais incomum para as emuladores de latin pop de plantão, Poison soa menos genérica e mais divertida do que qualquer reinvenção de reggaeton que colocassem aqui (e, também, dificilmente alguém vai lançar algo nesta vibe latina que seja tão bom quanto Play e La Luna neste ano). Não é nada imperdível, mas quem gosta de latin pop provavelmente não se decepcionará com isto aqui não.

Tomboy, Kiara

Uma indicação do PopThread no Twitter (vão aparecer mais algumas aqui xD). Apesar de ter se perdido um pouco em representar visualmente uma tomboy, no quesito música Kiara conseguiu reproduzir muito bem as faixas barulhentas de boybands que não me descem como os novinhos do Treasure e o NCT. Eu poderia até falar como um vocal feminino, por si só, já melhora a execução deste tipo de faixa, mas no fim, só não curti mesmo…

Home;Run, Seventeen

Pelo tempo que eu fiquei afastado do k-pop eu ainda acho tão ESTRANHO o Seventeeen ser super famoso assim. Dito isso, vendo o single acima, eu consigo entender o porquê eles não só estouraram como se mantiveram relevantes. Em meio a uma onda retrô apoiada no disco que estourou no mundo e e foi emulada com sucesso comercial (e só comercial mesmo) pelo BTS, era nítido que outras boybands do primeiro escalão fizessem o mesmo.

O pulo do gato aí, foi que, sim, temos um retrô de visual meio setentista/oitentista, mas A MÚSICA PASSA LONGE DO DISCO. Apostando naqueles números de big band com muitos saxofones do final da década de 20 e de 30, Home;Run é uma faixa que lembra da época em que usar demos com aspectos retrô não era nada tão marcado assim na indústria, apesar de fazerem isto com bastante frequência (no sentido de que usar elementos que evocassem outra época não era tão vangloriado e dissecado como hoje). A faixa transforma conforme ela progride, como se realmente contasse uma estória divertida cheia de fugas e mal-entendidos (o clipe até que cumpre bem o papel de representar isto visualmente). E a ponte é algo deliciosamente orgânico.

Será que o Seventeen finalmente vai conseguir entregar algo tão coeso e legal que nem You Made My Day lá em 2018? Vou até dar uma conferida no álbum, porque depois deste single minhas esperanças no grupo foram renovadas.

Mimew, Yezi

Eu ADORO faixas assim. E, não, nem estou falando do rap ou do clipe insano e super cativante, mas de como a música te engana a cada trocada de versos e te surpreende. O final do pré-refrão (acredito que é o pré-refrão, mas a música me deixou confuso kk) com um rugido distorcido assusta nas duas vezes em que aparece e os versos são tão agressivos que até fazem o pós-refrão meio house não soar tão genérico como de costume. A letra é igualmente insana falando sobre é bizarro os outros quererem defini-la (como uma cachorra louca – que referencia uma música dela de 2015) se nem ela mesma é capaz disso (apesar de se ver mais como uma gata), com umas boas dose de versos evocando “sou a fodona do rap”.

You, A-Flow (feat. Choerry)

Quando o PopThread me indicou que a Choerry tinha descolado um feat vocal, eu tinha de dar uma conferida, porque nem de longe eu imaginaria ela como a primeira (ou segunda, ou terceira…) opção pra isso no LOONA.

Dito isto, ela não aparece e a faixa parece um descarte do que há de pior no atual top 10 da Billboard, então nem vale o play…

Siren, P1Harmony

Depois da polêmica envolvendo a Jimin e o fim de seu maior ganha pão, a FNC antecipou o debut de sua nova boyband (ao invés de dar espaço pra um comeback do N.Flying, tsc tsc…). Aparentemente eles vão ter algo como um universo ficcional em seus lançamentos e, considerando a letra e a sonoridade deste debut, eu até consigo visualizar eles como rebeldes de uma sociedade diatópica. De um jeito estranho, a faixa traz quase tudo que eu não gosto em boybands, mas cai no meu gosto. O instrumental industrial não ficou tão pesado, os raps meio pedantizinhos contrastaram bem com os melismas vocais e o refrão em coro ficou bem grudado na minha cabeça. Se eles continuarem assim é capaz de chegarem no nível do Stray Kids (o que seria ótimo de ver).

E acho que vou pesquisar deste universo… Vamos ver o que inventaram desta vez…

Nostalgia, Drippin

Mais um debut (também sugestão do PopThread), só que desta vez da Woolim (Lovelyz, Golden Child e Rocket Punch). Nostalgia é um nudisco bem on the numbers para o que eu espero de músicas disco no k-pop desde quando comecei a escutar esta bagaça. Tá bem feitinho e se alinha a estrutura da modinha (este trap com rapzinhos no segundo verso aparece em mais da metade das músicas de agora kkk). O conceito histórico ficou legal num nível de que eles poderiam ter mostrado mais (a cara de terra se esfarelando é uma imagem bem épica).

Entretanto, isto ficaria BEM MELHOR se fosse o comeback do Golden Child depois de Lucid Dream…Combinaria perfeitamente e soaria bem mais orgânico…

More, K/DA

K/DA está de volta com seu aguardado EP, umas trocas em vocalistas e a adição de uma vocaloid pra equipe (Seraphine). A animação está MARAVILHOSA, eu sempre tenho vontade de jogar LOL de novo só por causa dos trabalhos visuais que qualquer coisa da franquia tem. E, de longe, o design da Ahri (a raposa) realmente faz jus ao quanto ela é uma personagem popular. A Evelynn (a CL de cabelo rosa) e a Seraphine (a de cabelo azul que aparecem no final) também ficaram muito lindas e impactantes.

Quanto a música em si, é uma versão mais barulhenta e gritada de POP STARS lá de 2018. Serve de boa trilha sonora para o clipe estonteante e não consigo ver muito como música MÚSICA mesmo pra escutar sem ver o clipe… Vamos ver se quando sair o EP ela fica legal na tracklist.

About Me, Raiden & Hyoyeon (feat. Coogie)

Hyo voltou a ser DJ e eu não poderia estar mais contente. Ela não lança uma música gostosinha e despretensiosa assim desde Sober, que acredito ser o melhor single solo dela (“acreditava” acho que é melhor porque esta About Me está MARAVILHOSA). Indo para a onda de club songs com house raiz, a música é leve e suave, não só lembrando que a Hyoyeon tem um vocal pra chamar de seu, mas também que estas músicas meio genéricas de DJs podem ser muito boas e divertidas. E, claro, a duração super curta só aumenta o replay factor.

Run Away, Mino

Eu tenho muita preguiça de como os homens podem ser super “autorais” na YG e as mulheres tem seus cadernos de 70 rascunhos de composições jogados no lixo. O pior é que nem é ruim, mas o contexto me dá tanta preguiça que não consigo nem dar uma chance.

Cloud, ChoA (Prod. Primary)

Uma das promessas que eu tinha feito no último Fundo do Mar era um post solo pra volta da ChoA e isto acabou não acontecendo… De toda forma, temos a maravilhosa vocalista do AOA voltando logo depois que a Jimin deixou a indústria com uma parceria com o Primary, o que faz bastante sentido, considerando que o debut solo dela foi uma faixa com ele.

Se você é fã de city pop, se prepare, porque a voz de ChoA vai te levar para por de sóis arroxeados de anime em ruas solitárias e melancólicas de Seoul, conforme você dirige uma moto ou um conversível velho. Eu sou fã de city pop, então isto funcionou comigo como uma luva 💖 Yukika que se cuide…

Dress Up, kriz (feat. Oh Hayoung) (Prod. Primary)

Além da faixa da ChoA, outra produção do Primary me foi indicada pelo twitter pelo PopThread, desta vez uma parceria envolvendo a Oh Hayoung do Apink, trazendo o lado red do city pop. Em um synthwave gotosíssimo e um clipe divertidinho que emula todo o cenário de city pop e da bolha econômica japonesa (sim, eu lembrei de Sailor Moon no momento que vi a garota pulando com a lua no fundo).

O Primary bem que podia juntar estas faixas num EP meio retrô meio city pop né? Já ia ter aclamação aqui no Aquário tranquilamente…

Jungle, CIX

O Wendell do GostoMeu disse que isto é um bom comeback do EXO e não vai ser eu que vai desmentir (até porque conheço praticamente nada do EXO)… Enfim, uma faixa inventiva e dramática que ficaria ótima no meio de uma tracklist minimamente interessante. Como single? Estranho… Ainda mais com este clipe que parece ser rápido demais pra velocidade da música.

Jasmin, JBJ95

Um acerto sonoro e visual, Jasmin consegue se destacar por ser uma execução perfeita de um nudisco masculino, sem soar genérica ou soft demais. A forma como os dois mesclam os agudinhos e os toms mais graves deixa a música ainda mais interessante e classuda, aproveitando ao máximo de todas as partes grudentas que povoam a faixa do pré-refrão ao pós-refrão. Os passos da coreografia também não ficaram tão heteronormativos e travados, sem contar que a parte com a dançarina ficou muito divertida.

Não tenho do que reclamar, sinceramente. Até a cor dos cabelos dos dois ficou legal, porque uma é exatamente o contrário da outra.

#GirlsSpkOut, Taeyeon (feat. Chanmina)

Outra promessa não cumprida do Fundo do Mar do mês passado foi falar do comeback japonês da Taeyeon.

Passado o susto dos primeiros dez segundo em que ela parece falar “gils’ generation”, a aixa fala sobre empoderamento feminino, o que é bem legal ver de uma solista tão famosa quanto a a Taeyeon. Ainda não é tão interessante quanto Something New (o último comeback dela que efetivamente deitei), mas até que é divertidinha nesta pegada de R&B soft que ela já tá acostumada.

Breakout, PRISMA

Com uma italizana e uma espanhola no line-up, PRISMA é mais um debut do 10º escalão. Deve ser triste ser capopeira europeia e a trainee de sua nacionalidade não debutar com tanto shade e qualidade como o BLack Swan, né?

A música nem é horrível, mas o áudio parece TÃO abafado no clipe. É como as vozes delas estivessem dentro de uma caixa.

Weather, fromis_9

O fromis_9 lançou um vídeo pra melhor b-side de seu último EP e eu simplesmente não poderia ignorar. O aesthetic com as bordas dos vídeos cortadas e com elas mantendo uma expressão super séria quando tá chovendo e sorrindo quando tá sol deu uma disfarçada na falta de orçamento. E ficou muito interessante com a analogia presente na letra, em que elas se comparam ao clima (de uma forma bem menos óbvia do que se espera).

A faixa, em si, é traz uma pegada de 8-bit ao mesmo tempo que é introspectiva, com vocais sóbrios e um pós-refrão que gruda na sua cabeça fácil fácil. O instrumental também traz aquela vibe de disco house que vimos no single principal, se encaixando perfeitamente na tracklist.

Nugas da nação, apenas.

Beware, IZ*ONE

Pra finalizar, um aviso. O próprio nome disto aqui diz: cuidado, porque este comeback foi uma bela de uma bomba, hein? Saudades dos acertos repetidos de 2019, IZ*ONE. Saudades.

CL Performed 'HWA' on the 'The Late Late Show with James Corden'

E acabou! Devo ter ficado uns três/quatro dias pra acabar tudo (o que me faz pensar seriamente em dividir este post gigante em dois ou três menores pro ano que vem se o blog continuar vivo, claro kk). Provavelmente esqueci de alguma coisa, mas ou é porque eu não gostei ou porque não ligo pro grupo em questão ao ponto de ouvir kkk

Hoje aqui o dia está nublado, anoitecendo e a introspecção continua em doses homeopáticas. Ainda tem singles aparentemente ruins do Monsta X, do AB6IX e até do Mamamoo para eu ouvir… Vamos ver qual deles vira post no decorrer desta semana xD

Eu não sei bem como explicar que alguma coisa vai começar…

Ariel

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar indicações e comentários aleatórios de k-pop e BLs, com tweets ocasionais de artes e reflexões político filosóficas: @AquarioHipster

6 comentários em “Fundo do Mar (Outubro’20): Girls’ Generation, ChoA, K/DA, CL, Seventeen e mais…

  1. “Quando o PopThread me indicou que a Choerry tinha descolado um feat vocal, eu tinha de dar uma conferida, porque nem de longe eu imaginaria ela como a primeira (ou segunda, ou terceira…) opção pra isso no LOONA”

    Pior que recentemente elas gravaram um vídeo pra algum canal gringo elegendo as melhores em diferentes categorias, e a Choerry foi escolhida pelas colegas como a melhor vocalista (na mesma votação, por sinal, Go Won Minaj passou o “Minaj” para a Olivia Hye, que foi eleita a melhor rapper).

    Quanto ao solo da ChoA, que delícia de música, hein? Vai flopar porque não é comercial, mas pra quem gosta de boa música, é um prato cheio!

    Curtido por 2 pessoas

    1. Chocado com estas respostas… Será que elas foram pagas pra falar isto, porque não é possível escolherem Choerry como vocal e Olivia como rapper… Ou foi pela zoeira, só pode

      Siiim, a música da ChoA é MARAVILHOSA, depois descobri que ela é single de um álbum de instrumentais do Primary e ele produziu uns negócios MARAVILHOSOS ali, uma pena que a única faixa que tem vocais é a da ChoA mesmo…

      Curtir

      1. Não parecia zoeira; a Chuu chegou a comentar que estava ouvindo o EP novo delas no carro e que quando os versos da Choerry começavam ela ficava surpresa com a qualidade da voz. E a Chuu não parece alguém capaz de sustentar uma zoeira com a cara séria (vide no vídeo delas experimentando fast food nos EUA, em que uma tem que fazer elogios pra outra, ela fala que acha a Go Won uma pessoa atenciosa e começa a gargalhar na mesma hora…). E a Yves foi eleita a melhor dançarina, o que parece coerente.

        Aqui o vídeo, caso queira ver:

        Curtido por 1 pessoa

      2. De nada!

        Elas têm feito uns vídeos bem divertidos de ver nessa era [12:00]. Tem um delas jogando uma mistura de Detetive com Danganronpa, que eu confesso que demorei pra entender como funcionava, mas depois fica hilário vendo elas (tanto as “assassinas” como as outras) totalmente perdidas!

        (pequeno spoiler: Kim Lip jurando que vai ser a melhor jogadora, e sendo a primeira eliminada…)

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s