Fundo do Mar (15/05): WJSN The Black, ONEUS, NCT Dream, Wonho, um STAYC masculino e mais…

Depois de um começo bem fraquinho (tanto que nem teve Fundo do Mar semana passada), maio engrenou e trouxe, parafraseando o Wendell do GostoMeu, uma das melhores e mais agitadas semanas do k-pop até agora. Soma-se isto a nova fonte que eu passei a usar para acompanhar lançamentos (graças a indicação da Rafa do AYO GG) e a sorte/azar de eu já ter vários posts já planejados pra semana que tomaram o lugar de Single Reviews dos lançamentos: temos quase VINTE músicas pra comentar… Com muitas coisas boas no meio do caminho!! Partiu?

Easy, WJSN The Black

A vinda dessa nova unit pelo WJSN me abriu um olhar novo para units num geral que eu ainda não tinha me tocado: a experimentação. É muito mais fácil mobilizar quatro gatinhas pra testar um novo som do que mobilizar TREZE (ou dez, se descartarmos as chinesas que nunca aparecem nos comebacks). Apesar de seguir na linha do ótimo single que o grupo completo soltou este ano, Easy vai mais fundo em maturidade, seja em melodia e clipe. Digo isto não apenas por elas estarem mais sexies, mas também por todo um refinamento que permeia a produção da faixa, do clipe e dos figurinos (MIL VEZES MELHOR as gatinhas sensualizando se calça, tênis e terno do que de microsaia…),

A faixa é um deep house com muitas influências de R&B, que vai direto ao que propõe e só te faz navegar por entre as diversas camadas dessas harmonias e desses sintetizadores. Não traz nada de muito novo depois dos primeiros segundos, mas, sinceramente, precisa? Mesmo o break de rap soa bem mais orgânico e ligado a faixa do que o que está comum ultimamente…

O clipe, por sua vez, se destaca pelo próprio figurino confortável delas e pela forma como foram sugerindo a estorinha de um roubo por apenas partes de cenas, assim como os suspiros delas sugerem mais do que propriamente falam a letra… Chef’s kiss 💋

Black Mirror, ONEUS

Se as integrantes famosas do WJSN pegaram um terno, os carinhas do ONEUS FINALMENTE voltaram a despirocar, numa demo deliciosa de nudisco que estaria em casa no último disco da Kylie Minogue. Aqui, da mesma forma, a produção é super refinada, deixando o baixo em primeiro plano para sugerir toda uma série de elementos ao fundo. Estes, ao invés de explodir direto no refrão, desaparecem por um longo pré-refrão, apenas aumentando a efetividade do refrão de fato quando os violinos voltam a explodir na backtrack.

Eu achei muito interessante que o conceito da faixa (que permeia por duas b-sides do EP) brinca com conceitos binários (o nome do EP é Binary Code), seja num aspecto mais prático de claro e escuro ou num aspecto mais subjetivo de uma “reflexão sombria” que o espelho pode mostrar. Bem fechadinho, bem feitinho, bem viadinho… É assim que eu gosto! Já tinha perdido as esperanças com eles, mas se a RBW dar outro comeback assim pro ONEUS, já vão estar no meu radar de preferidos 👀

Ain’t About You, Wonho (feat. Kiiara)

Fechando a trinca de músicas das gays dessa semana, Wonho voltou a lançar música entre um soft porn e outro do seu instagram. A faixa é uma album track de seu último EP, que é bem competente e merecia mais promoção mesmo (um CRIME Lost in Paradise, do primeiro EP, não ter ganhado um clipezinho desses no ano passado), contendo, ainda por cima, o feat de uma cantora americana dessa nova geração que eu não manjo NADA, Olivia Rodrigo who?.

Ain’t About You mantem o caráter sexy dos singles anteriores, indo um pouco mais fundo no deep house e com uma voz feminina pra criar contraste. Eu acho incrível como o Wonho realmente sabe cantar muito bem, mandando uns gritinhos que rivalizam com os da sua favorita (a voz dele é mais fina que a da Kiiara, mano). Isto deixa a faixa ainda mais gostosinha de ouvir, chegando ao nível de competência da música do WJSN The Black com facilidade.

Como ele tem tempo de se matar na academia, produzir as músicas e ainda treinar o canto é algo que só o Vira-Tempo da Hermione pode explicar.

Not The End, Highlight

Highlight voltou depois do envolvimento do Yong Junhyung no caso de exploração sexual da Burning Sun levá-lo a sair do grupo. É bem simbólico eles voltarem depois de tanto tempo com uma música que se chama “não é o fim”. Não tenho conhecimento o suficiente dos integrantes pra saber se eles estão no nível de nojeira do Juhyung, mas essa faixazinha de tropical house de 2016 não vai me ajudar a simpatizar pelo grupo não.

Flavors of Love, Monsta X

Eu não tenho o mínimo de apelo com o Monsta X, mas o Wonho saiu daqui, então sempre dou uma chancinha pra ver se tem alguém tão carismático quanto ele. Não sei se ele era o mais talentoso e gostoso deles mesmo ou se trabalhar em grupo os obriga a lançar umas coisas mais inofensivas, porque Flavors of Love é um número meio acústico meio trap que a gente já ouviu QUINHENTAS vezes de QUINHENTOS atos entregue de uma forma bem inespecífica que não o faz se diferenciar da manada.

Make Up Your Mind, Ailee

Eu JURAVA que a Ailee estava de hiatus há uns anos e só tinha voltado agora, mas resolvi dar uma pesquisada pra não escrever abobrinha. Bem, ela tá na ativa de novo desde 2019 e eu só dormi no ponto mesmo… Mas, também, se for pra lançar essas faixas de refrão preguiçoso só de sintetizadores + o nome da faixa falado, é melhor nem lembrar mesmo… (ela canta pra caramba mano, pra quê uma faixa dessas?!)

Hot Sauce, NCT Dream

Essa quase ganhou um post solo, porque a proposta e o álbum GRITAVAM algo que o Red Velvet lançaria em seu lado Red lá pra 2015/2016. Seria a primeira vez que o NCTinator da SM seria desligado pro próprio NCT?! É explodidor de cabeças!

Não foi exatamente isto que recebemos, mas até que eu não desgostei? Os elementos de industrial quase não existem neste instrumental inspirado em latin-pop e, apesar da letra e vibe FORÇADÍSSIMA de eles se acharem (como sempre), a música tá empacotada numa analogia com molho picante. MOLHO PICANTE! Não tem como levar a sério, e justamente por isso Hot Sauce desce com muito mais facilidade que a faixa padrão do NCT (e a animação do Molhinho Picante no final do clipe é fofíssima e MUITO MELHOR que umas animações do aespa). O álbum não tá aquelas coisas, mas pode ficar promissor se eu lembrar de dar alguns replays.

Always, VAV

Eu sou bem simpático ao VAV, não sei porquê. Desde que eu comecei o blog eles tão lá flopando na nugulândia sem grandes polêmicas ou troca de integrantes, então existe um certo apelo de underdogs rolando aí… Eles estão perto dos sete anos e alguns integrantes já estão indo pro exército, então é capaz do grupo estar em seus últimos suspiros. Always tem muito essa carga mesmo, seja por ser um single especial (ao invés de um EP ou Single Album) ou por ser uma baladinha meio melancólica em que eles falam que “sempre vão estar ao seu lado”.

De toda forma, eu achei essa baladinha muito fofinha, conseguindo ter um refrão que fica na memória e uma variabilidade nos vocais que não a deixou muito monótona, o que é primeiro acerto do grupo comigo em muito tempo. Ponto pra eles!

Starry Night, Fanatics

Falando em flopar, Fanatics começou como uma super promessa em pré-debut pra, depois, ter polêmicas em bastidores (não pesquisei mais sobre porque não tô muito na vibe de mais notícia triste…) e, agora, um comeback que nem clipe tem…

Isto é uma pena, porque Starry Night é uma faixa bem feitinha, com um caráter levemente sombrio e atmosférico, conseguindo ter inspirações house e não soar genérica. Um clipe deixaria ela bem mais impactante do que só uma ouvida agradável… Mas ok, né, fazer o quê? :/

MM, sokodomo (feat. Jay Park)

Cuidado que tem umas cenas pesadas com violência nesse clipe…

Um rapper pseudoindie aí que nunca ouvi falar lançou um single com o Jay Park e acredito ser a primeira faixa masculina que eu escuto dessa vibe que realmente parece algo criativo. A letra é surpreendente (MM é pra MurderMind) e catártica, com ele falando do desejo de matar o próprio chefe por se sentir preso numa rotina sem tempo pra nada. A melodia foge um pouco do habitual trap e o mistura com elementos de arena rock, pop mínimo e distorções vocais a la vocaloid. O clipe é outra coisa bem criativa, trabalhando de um jeito bem sombrio o quão tóxico e violento é este ciclo de pensamento destrutivo e o quão ele está intrinsicamente ligado a exploração do trabalho.

Primeira vez que vejo um homem pseudoindie ser competente… Chocado.

Whatever, KEEMBO

Não tem como não ver um clipe do KEEMBO e não dar um sorrisão, né? xD

Desde que saíram do Spica, a dupla tá com demos do Sweetune na manga e mirando COM FORÇA no cenário pseudoindie. A considerar pelo número de singles que elas lançaram em um ano e o full album que elas já desovaram, dá pra interpretar que elas conseguiram o que queriam do jeito que queriam. E, apesar de metade das coisas delas serem meio inofensivas, como o próprio R&B de saxofones de Whatever, o carisma das duas e a proposta de sempre trazer um conceitinho visual pra combinar (desta vez foi as personas delas estilo boneca Winx) faz tudo funcionar e ser minimamente memorável. Whatever é mais uma delas que vai pra playlist.

Breathe Again, BLITZERS

Debut de boyband nova… O Que Será Que Vem Aí?? 👁👄👁

Pensou em bate-lata do NCT? Eu também e fiquei CHOCADO com os vocais estourando (no bom sentido) logo no começo da faixa enquanto uma guitarra tava fritando lá no fundo. Breathe Again é um pop-rock que consegue equilibrar muito bem a line distribution dos vocais e dos rappers numa faixa que impressiona. Eu jurava que este tipo de execução mais hardcore envolvendo boybands, roupas pretas e fogo já tinha saturado, mas a produção desta faixa me deixou de queixo caído. É sério que eles me convenceram nessa pegada sem soar forçado ou só mais uma demo da modinha?!

Tudo aqui cola muito bem, o instrumental está super orgânico e agradável de ouvir, o coro do refrão está harmônico e os breaks de rap do segundo verso não arruinaram a faixa. É como se alguém decidisse fazer um debut como o do STAYC, só que no modelo boyband, com um resultado igualmente impressionante.

NCT, Stray Kids, ATEEZ e qualquer outra boybandzinha hardcore, se preparem, porque o BLITZERS veio pra ACABAR COM A RAÇA DE VOCÊS.

GENIUS, D.Ark (feat. Changmo)

D.Ark é outro rapper que nunca ouvi falar que debutou seu primeiro EP com a participação do Changmo. Como o Changmo já colaborou com quase toda diva coreana ativa até agora, eu estava com uma certa esperança de isto ser legal. Mas, né, a prepotência desses atos mais novos é demais pra mim. Sério que ele fica a faixa inteira falando que é um gênio se pagando de fodão? Pela deusa…

Sleepless in Seoul, 10CM (feat. Suhyun)

Outro lançamento que criei hype mais pelo feat do que pelo ato em si. Fiquei a faixa inteira esperando ela engrenar e não aconteceu… Pelo menos a guitarra amarela do cara é bonita.

Giant, Yuqi

DO NADA Yuqi do (g)i-dle debutou solo e DO NADA resolveu ser roqueira. Achei curioso e interessante, porque estávamos discutindo nos comentários do post do ITZY sobre esta sonoridade poder dar números bem legais no k-pop.

Infelizmente, Giant não mergulha no rock como eu imaginava, tendo mais uma guitarrinha no refrão do que sendo algo mais roqueiro mesmo. Não funcionou comigo. O fato de ser em inglês e de ter uma melodia no verso bem padrãozinha pros lançamentos americanos deixou a faixa com cara de genérica pra mim. Queria ter gostado, porque, né, (g)i-dle, mas não foi dessa vez…

Outerspace, Kang Daniel (feat. Loco)

A Weverse tá dominando a Coreia e é a vez do Daniel entregar um single pra promovê-la. É curioso, porque, assim como aconteceu com o (g)i-dle, a faixa foge da sonoridade padrão dele, resultando num single bem interessante e divertido no contexto da sua discografia.

Apostando numa pegada bem funky e até meio safadinha, ele faz analogias com o espaço enquanto dá umas reboladas não heteronormativas. ADOREI! Típico número masculino básico que funciona com qualquer um e, estando nas minhas graças depois do último comeback, o ex-namorado da Jihyo não me decepcionou.

Switch It Up, Jay B (feat. sokodomo)

E o pouco apelo que o sokodomo teve comigo já sumiu quando eu descubro que ele fez feat com o novo macho escroto que tão passando pano no k-pop: Jay B, do GOT7. A polêmica envolvendo fotos claramente pornográficas que apareceram num fundo de uma live do cantor tirou qualquer empatia que eu teria por esse lançamento, muita mais pela atitude da nova empresa dele passar pano do que pelas fotos em si. Se fosse uma mulher (ou o Jae do DAY6) a carreira estaria afundada, mas né, não vai ser a primeira nem a última vez que vamos ver essas palhaçadas no k-pop.

Got It Like That, B.I X Tyla Yaweh X Destiny Rogers

E um carinha do iKON conseguiu lançar uma música legal mesmo sendo um rapper na YG. Isto claramente se dá pelo fato de ter chamado uma gatinha vestida como uma integrante do ITZY, MAS QUE CANTA, e os vocais aveludados dessa Destiny guiam você pela melodia mínima de hip-hop, fazendo você notar os leves sintetizadores mais delicados no fundo. Aí o B.I manda uns versos e canta o refrão junto com ela. Aí vem o Tyla no mesmo formato e, quando você percebe, foram quase três minutos de música de um homem da YG que você escutou até o fim sem reclamar… EM PLENO 2021!

Palmas para os dois feats que fizeram isto aqui ficar bem gostosinho e divertido de ouvir. Se os traps do k-indie tivessem um pouco da percepção que tiveram aqui (seja colocando vocais diferentes pra se complementarem ou adicionando um synth de levinho na melodia pra ela não ficar chata) muito mais coisa ia funcionar, sério.

WATCH: WJSN THE BLACK Play Sides In Self-Assured "Easy" MV - What The Kpop

E terminamos o Fundo do Mar com um saldo extremamente positivo e muita música pra se salvar na playlist de 2021. É WJSN, ONEUS, Wonho, sokodomo e BLITZERS que acertaram MUITO, enquanto que KEEMBO, NCT Dream, B.I e VAV fizeram o suficiente para serem agradáveis e minimamente memoráveis. Saio muito feliz dessa semana e muito empolgado, porque fazia MUITO TEMPO que uma semana no k-pop não desovava tanta coisa diferente e legal.

P.S: Sério, se você não viu o debut do BLITZERS, veja, porque o negócio tá legal mesmo… Não é todo dia que um debut de boyband nesse formato meio “oppa fodão” consegue acertar tanto…

BLITZERS(블리처스) - Breathe Again Official MV - YouTube

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar surtos e comentários aleatórios de k-pop e BLs, com tweets ocasionais de artes e reflexões político filosóficas: @AquarioHipster

7 comentários em “Fundo do Mar (15/05): WJSN The Black, ONEUS, NCT Dream, Wonho, um STAYC masculino e mais…

  1. WJSN The Black – faixa muito diliça
    ONEUS – depois de tanta faixa agradável-mas-esquecível (sdds ASIANMIXTAPE), finalmente um diamante pra eles. Forte candidata a melhor faixa de boygroup do ano
    Wonho – segue sendo 01 grande gatão de bom gosto musical, o Taemin dessa geração
    Highlight – talvez o tempo melhore essa música
    Monsta X – que bom que o Wonho saiu do grupo, né?
    Ailee – desse release dela, prefiro a B-side em que ela imita o Charlie Puth (e acerta gloriosamente)
    NCT Dream – segue na luta
    VAV – eles tem algumas músicas legais, mas essa é ótima pra dormir
    Fanatics – esperava mais do grupo que desovou a ótima Milkshake a alguns anos atrás
    M&M – fiquei com medo de ver o MV
    KEEMBO – achei inofensivo perto dos hinos que elas lançaram entre o ano passado e o começo desse ano. Sweetune, hwaiting!
    BLITZERS – como diria o Bruno (+ uma vez, sdds ASIANMIXTAPE), um acerto no meio do mar de oppas traficantes fodões
    D.Ark – música horrível, voz horrível
    10CM – tá mais pra Sleep in Seoul. Ou até mesmo Sleep Anywhere, pq né
    Yuqi – apesar da B-side ser melhor, recomendo a vc dar mais uma chance pra main track (eu mesmo fiz isso). Ela é boa, e como disseram no blog do Dougie, até fez a Sorn chorar no porão
    KANGDANIEL – parece boa. Vou ouvir com mais calma depois
    Jay B – deixando as polêmicas de lado, prefiro ele junto com o maknae do GOT7 naquela subunit (Jus2) cantando Focus on Me
    B.I – QUEM DIRIA QUE UM MOLEQUE DA YG ME SURPREENDERIA, HEIN? Depois de tanto trap bosta sendo desovado por basicamente qualquer boygroup da empresa, mais um expulsado de grupo que rendeu. Tudo bem que ela não supera a icônica Dark Panda de Hyolyn e ele parece muito mais um feat. com essa tal de Tyla sustentando a maior parte da faixa (é ela que salva a música no fim do dia, msm), mas já é um ponto e tanto pra ele. Acho que deveriam expulsar mais garotos das boygroups, pq pelo visto, só assim as produções engrenam

    Curtido por 1 pessoa

    1. Vc comentou sua opinião de cada faixa xD Adorei 💖💖

      Do jeito que tá, deviam expulsar mais carinhas das boybands mesmo, vai que Wonho e B.I começam a fazer escola? kk Vou planfetar o BLITZERS a rodo agora, tem tudo pra ser o melhor debut do ano (e de uma boyband, hein?) e vou parar pra escutar de novo a Yuqi depois de um tempinho, capaz de funcionar melhor 🤔

      E, sim, dá uma saudade do ASIANMIXTAPE mesmo, as vezes a gente vê umas músicas e já imagina o que ele ia comentar né? kk

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s