Like It Hot, GWSN: O orçamento acaba, mas a fanfic continua

Apesar de eu não saber o nome de mais da metade das integrantes e do grupo não figurar aqui no header no blog, eu sou muito simpático ao GWSN (Girls In The Park). O direcionamento artístico do grupo é algo impressionante pra uma empresa tão pequena, conseguindo referenciar (positivamente) dois grupos que são muito elogiados dentro (e fora) da blogosfera: o LOONA (pela leve fanfic envolvendo a Lua e o caráter etéreo de suas músicas eletrônicas) e o f(x) (pelos seus álbuns coesos e utilização do house de forma similar a 4 Walls). Tendo hitado com muita gente no ano passado COM UMA B-SIDE (aqui Tweaks chegou a 2ª lugar xD), as expectativas para um novo comeback do grupo estavam BEM ALTAS:

Muitas coisas de bastidores preocuparam os fãs pouco antes deste comeback sair. Com problemas no orçamento da empresa e mudanças internas na configuração da mesma (que até mudou de nome para The Wave Music), o que deu a entender é que este comeback iria ser decisivo para a continuação do grupo, que flopa HORRORES em território coreano.

É curioso, porque é geralmente em momentos como este que os pontos negativos da nugulândia se evidenciam, com demos mal produzidas, clipes sem orçamento, singles digitais ao invés de álbuns e por aí vai… CONTUDO, GWSN não mostra em Like It Hot e seu novo EP qualquer um desses sinais. Inclusive, este lançamento mais genérico e desesperado de final de grupo, em retrospecto, parece muito mais o contexto de BAZOOKA e the Keys do que o que estamos vendo agora (o EP deste ano tem até mais músicas que o do ano passado kk).

Numa melodia etérea que volta a coesão do grupo com os lançamentos antes de BAZOOKA, o single é uma produção muito delicada de house e dancehall, brincando com o tempo da melodia e com os elementos que adiciona e retira para aumentar ou diminuir a força dos vocais das integrantes no resultado final. Os versos são povoados por referências mais sutis (só com ouvidos muito atentos você percebe os sintetizadores house que permeiam o inicio das duas rodadas de versos) e vão crescendo em complexidade e vocais até ter um drop. Mas não é um drop como estamos acostumados. É como um balão que vai se enchendo até se estourar, e os sintetizadores house que ficavam em segundo plano ganham protagonismo com um refrão deep house (bem 4 Walls mesmo kk) com elas mandando versos falados pra você arrasar na pista de dança.

Existe, depois, uma quebra no pós-refrão que se assemelha muito aos refrãos preguiçosos do urban pesadão da modinha, inclusive repetindo o nome da faixa. Ela, porém, traz muito mais suavidade e conexão com o resto do instrumental (se ligando muito bem com a ponte, inclusive, nas notas que elas estão alcançando nestas duas partes), deixando o resultado final numa coesão de se espantar.

É um single singelo, delicado, que foge da modinha mas não perde de vista quais apostas os outros grupos estão fazendo, soando um perfeito exemplo de inovação dentro do contexto capopeiro atual. É, em todos os sentidos, uma faixa moderna que traz o melhor que os maneirismos do ballroom noventista e dos breaks de pseudoraps estão fazendo no k-pop e os adapta para a identidade sonora e visual do grupo (algo que BAZOOKA, querendo ou não, acabou não fazendo muito).

Visualmente, o clipe de Like It Hot é espetacular. Não digo isso por alguma cena de computação gráfica impecável ou alguma composição cromática interessante. Mas, dado o contexto em que o grupo se encontra, o clipe está tão fechadinho e tão rico que, na minha opinião, parece que elas ganharam orçamento do ano passado pra cá, e não o contrário kk Os takes de coreografia parecem ter sido gravados em três lugares diferentes, os efeitos visuais ficaram bem competentes e a desculpa narrativa para este cenário mais fechado foi ótima (elas como pinturas buscando representar o lado oculto da lua). Um dos cenários, inclusive, parece ser um desenho ganhando vida (aquele em que tudo é branco e os contornos dos objetos são evidenciados). E tudo isto conversa diretamente com a capa do EP, que foi feita pela própria Miya (provavelmente pela falta de dinheiro de contratar alguém pra fazer, mas tá valendo… Ela se junta ao Roda do M.O.N.T como mais uma idol que também é artista visual 💖).

Eu meio que me identifico quando aparece pintura e desenho nestas coisas (assim que acabar o post tenho uma tarefa de pintura pra acabar, na real kk), mas aqui realmente conseguiram aproveitar o máximo do pouco que tinham.

E, sobre o álbum, sim, tem b-side no nível de Tweaks, indo, inclusive, além. The Other Side of the Moon parece, numas primeiras ouvidas, o melhor EP delas, com várias músicas diferentes que se destacam por motivos diferentes, mas se mantem coesas pela tracklist. Já prevejo que cada pessoa da blogosfera vai escolher sua preferida, porque num geral, seja na sobriedade de I Can’t Breathe, nos vocais fininhos de e i e i o ou no jazz de I Sing (lalala), o álbum entrega as várias facetas que um conceito sombrio como o “outro lado da Lua” pode oferecer (vai ter review dele mês que vem siiim xD).

sevalea❄️⁵ (@ot10pentastic) / Twitter

Novamente, GWSN conseguiu trazer um comeback que foi melhor que o seu último (acho que a única vez que eu não tive essa impressão delas foi em Red Sun). É incrível como o grupo mantem um nível de qualidade estética e sonora mesmo estando na pindaíba do orçamento, sempre procurando consertar o que não deu certo da última vez:

  • Se Puzzle Room era derivativa demais, Pinky Star trouxe mais personalidade própria ao grupo.
  • Se Pinky Star não tinha b-sides tão marcantes quanto o single, BAZOOKA! trouxe Tweaks e deixou todo mundo de queixo caído.
  • Se BAZOOKA! perdeu um pouco a iconografia própria do grupo e tinha um álbum em que só metade das faixas realmente se destacavam, Like It Hot aproveitou melhor seu orçamento no clipe e trouxe um álbum em que, de seis faixas, cinco são memoráveis por si só.

É um esforço contínuo para manter um caráter não só de músicas boas, mas um bom direcionamento artístico mesmo (o tanto de tempo e perrengues que se passaram e a FANFIC DA LUA NÃO MORREU!!! Quem dera o LOONA fosse assim…) que dá gosto de ver e acompanhar. Bora dar stream pra elas neste comeback, porque, se for que nem ano passado, elas vão ficar reaproveitando esse EP até o final do ano com vídeos de performance (o que nem é ruim RUIM, já que eleva ainda mais a importância das album tracks no lançamento).

Elas não podem acabar tão rápido, sério, já basta o Narachan do M.O.N.T ter se alistado DO NADA e congelado qualquer possibilidade do trio lançar algo como grupo pelos próximos dois anos T^T

Girls In The Park かわいい妖精's tweet - "[#공원소녀] 5TH MINI ALBUM <THE OTHER  SIDE OF THE MOON> MV Teaser #1 Still Cuts 🔗 #Like_It_Hot RELEASE ::  2021.05.26 18:00 KST @official_GWSN @GWSN_JP #공원소녀 #
Me desejem sorte na pintura ^^ (a que eu mencionei no post que tenho de terminar é a primeira pintura em tela que faço pra valer kkk)

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar comentários aleatórios de k-pop e BLs, minha “stream” textual jogando Pokémon e tweets ocasionais de artes: @AquarioHipster

3 comentários em “Like It Hot, GWSN: O orçamento acaba, mas a fanfic continua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s