Fundo do Mar (20/06): GOT7, Seventeen, Hyolyn, ONEWE, WayV, Yukika e mais uns nugus…

E chegamos ao primeiro Fundo do Mar que tento escrever um pouquinho por dia, ao invés de deixar tudo pra sábado/domingo. Esta semana foi bem parada pelo medo que os atos mais fortes estavam das Brave Girls e, apesar disso, até que teve umas coisas competentes saindo fora do radar principal… Vamos?

The Long Night, Seori (feat. Giriboy)

Depois de cantar três linhas no comeback do TXT, Seori fez o próprio comeback com música acústica. Existem muitas coisas que parecem que vão funcionar (como o clipe lindo e super bem editado), mas, no fim, o monotom dela e a ausência de qualquer mudança significativa no instrumental por quase quatro minutos me fizeram não curtir nem um pouco isto aqui.

Goodbye Boy, Yunhway

Mais uma faixa de capa bonita sem clipe (e uma das mais bonitas até aqui, na real, olha essa pintura digital, mano!). Pesquisando um pouco, Yuhhway foi concorrente do Good Girl e do Show Me The Money, conseguindo sustentar uma carreira na música desde debutar de forma independente em 2015 (esta longevidade é pra poucos hein?). E ela deve estar super bem agora, porque quem ela contratou pra fazer a capa do single não só é INCRÍVEL como é bem hit em redes sociais, propagandas e até exposições (é tree13, aqui o link pro instagram dessa/e artista incrível).

E faz todo sentido tree13 ilustrar Goodbye Boy. Com especialidade em trazer imagens que ressoam o citypop japonês e a época da bolha econômica que permeou o Japão entre o final da década de 1980 e o começo da de 1990, a faixa é um perfeito exemplo de como um número de citypop “moderno” soaria. Cheio de melismas vocais e seguindo uma batida constante de bateria e teclado, Goodbye Boy traz aquele tipo de nostalgia que não referencia nenhuma época específica, mas, ainda sim, parece beber de diversas fontes mais velhas, seja na linha do citypop, na linha de tropical music ou R&B noventista. É uma daquelas músicas que corporifica o quão moderno e contemporâneo é o desejo de revisitar o passado e como isto é algo que não necessariamente é uma referência a este passado (o fator que eu mais gosto nessas músicas com cara de retrô xD).

É uma faixa perfeita pra amantes de citypop e também para pessoas que gostam da ideia do gênero, mas não gostam muito das músicas mais velhas ou com “cara de velha” (tipo os álbuns da Yukika).

I Want U Around, YuGyeom (GOT7) (feat. DeVita)

Mais um solo do GOT7 pós-JYP e eu já esperava o pior depois da paleta sombria do clipe e a base de trap da primeira rodada dos versos. Mas confiei que a produção do GRAY ia dar uma tunada e veio esta DeVita dando uma de bruxa enquanto harmonizava em cima da mesma base. E aí a melodia começou a soar bem mais criativa que o trap 101 a meus ouvidos. Tem distorções bem fortes de voz que perseguem todas as linhas da música, numa vibe meio hipnótica e sombria. Os sintetizadores bem graves e a única nota de um instrumento de corda aí deixam o lançamento ainda mais forte neste sentido, valorizando o que seria uma performance bem qualquer coisa do YugYeom e os melismas super aveludados da DeVita.

A melhor parte é, sem dúvidas, a quebra nos primeiros versos em que ele fala “I think of you” (e, infelizmente, não repete nenhuma vez).

O resto do álbum tá ok (inclusive o outro single), é melhor que o trap 101, muito por conta do GRAY estar envolvido na produção, mas ainda assim tem muito de trap aí no meio, então não é muito pra mim não…

riBBon, BamBam (GOT7)

BamBam é o único integrante do GOT7 até agora que não renunciou as cores e só por isso já fico mais simpático a ele. riBBon é um trap meio derivativo e genérico demais? É sim, nem mesmo as inspirações mais tropicais deixaram a faixa com uma cara mais única (ela me lembrou muito o trap que o A.C.E. lançou esse ano). Mas Contudo Todavia Porém, o jeito que tudo foi embalado visualmente no clipe (mais viado fashionista que isto só o Key) dá uma elevada no pacote final e, depois de vê-lo até o fim, acabei propenso a salvar a música no Spotify.

O EP funciona na mesma toada, com o vídeo de Highlight Medley sendo uma oportunidade pra dar um acompanhando visual impactante pra cada faixa e com a equipe por trás disso aproveitando CADA SEGUNDO pra deixar o lançamento memorável. Ignorando este fato, porém, consegue ser algo mais inofensivo que o do Yugyeom (apesar de ter uma variabilidade sonora da tracklist).

I am love, E THE

E num nível de nugulândia espantoso (o vídeo só tinha 243 visualizações quando linkei ele aqui), E THE traz uma faixa atmosférica e bem produzida personificando o amor. A voz dela se perde em meio a riqueza do instrumental orgânico e primaveril, que aposta levemente no tropical, de uma forma tão suave e tranquila que pode acabar te contagiando. Achei um pouco soft demais pra mim, mas se você gosta de algo mais suave (que não é baladinha), é capaz de você curtir.

(E vamos dar views pra gatinha também, né coitada… Foi até difícil de achar o lançamento no youtube @.@’)

Rain to Be, ONEWE

Eu ficaria com ódio se fosse um integrante do DAY6 este ano, porque parece que TODAS as outras bandas que competem com eles começaram a acertar, enquanto eles, que detinham certo monopólio dos charts em relação a k-bands, derraparam feio.

Eu sabia que uma hora a Raibow Bridge ia acertar no direcionamento do ONEWE entre o lado red do N.Flying e o lado velvet do DAY6. Demorou dois anos desde o debut, mas FINALMENTE a banda trouxe um single digno de destaque pra trazer mais variabilidade pro cenário. Rain To Be é um pop-rock que se inspira fortemente em latin-pop, mantendo os versos mínimos mais próximos da baladinha até ganhar pulso no refrão e replay factor nos nanananana do pós-refrão. E assim a faixa consegue prender sua atenção o suficiente até a ponte onde a guitarra toma conta e o negócio fica realmente catártico.

O clipe é uma ideia super simples (vai chovendo neles até ficarem cobertos de água), mas foi muito bem executada, com os integrantes performando com tanta verossimilhança que dá ainda mais impacto pra letra que relaciona o olhar da pessoa amada com uma tempestade a cair.

O álbum não é as mil maravilhas, mas traz grandes acertos para uma banda tão perdida em direcionamento sonoro e visual. Eles conseguiram trazer bem o caráter de sci-fi que o título do EP sugere, com destaque para Veronica, que parece trilha sonora dos Guardiões da Galáxia.

I Got U, LUCY

LUCY é uma banda que foi recomendada pra mim nessa semana e só de ter um integrante que tá tocando um fucking violino já chamou minha atenção. Um pouco longe do meio idol, mas ainda assim tendo sido formada durante um reality show (não são os vencedores, porém), a banda conseguiu equilibrar muito bem o caráter mais mainstream e mais indie do rock coreano, misturando algo mais a acústico e experimental com um refrão super grudento que claramente se inspira na estrutura de synthpop que marcou a transição de várias bandas mais puristas de rock/pop-punk americano para um som mais modernizado no começo da década de 2010. Mas, claro, com muito mais impacto e personalidade que 90% delas (primeira banda que vejo com shortinhos curtos como os do A.C.E! Ponto pra eles por terem menos hetero-normatividade que o esperado!).

O álbum é agradável, mas não promete algo além. Já me disseram que os outros lançamentos deles foram melhores, então vou dar uma cavucada.

Back To You, Kun & Xiaojun (WayV)

Ao invés de trazer uma versão aquileana de Seulrene, esta duplinha resolveu bancar as gays sofridas com uma baladinha sem graça na floresta. Mais um lançamento esquecível pro catálogo do grupo, que só ganha nos visuais mesmo (uma hora o Ten volta a lançar coisa solo, tenho fé).

What’re you doing tonight?, Yukika

Yukika está de volta com mais citypop, desta vez para um projeto fora do lançamento de um álbum ou algo do tipo. É fofo, é bem produzido e maduro, como várias outras coisas que a Yukika já fez. Infelizmente, já temos dois álbuns com o caráter citypopesco da gata e tudo que ela continuar lançamento seguindo esta linha a risca vai soar meio genérico pra mim…

MyMy LOVE, Serri (Dal Shabet)

Com o post imparcial do Dougie rendendo umas boas gargalhadas esta semana, é interessante notar que a música da Serri do Dal Shabet (pro mesmo projeto do da Yukika, a propósito) é realmente divertida e empolgante, soando como uma mistura de synthpop com citypop, numa melancolia levemente energética para descarregar os sentimentos ruins na pista de dança.

Se fosse da Yukika, seria um grande destaque em seus lançamentos. Sendo da Serri, pode ser um ótimo começo pra lançar uma música aleatória por ano e alimentar os 50 fãs restantes o Dal Shabet.

Happiness…, Hyolyn

Hyolyn segue com a dualidade da sua persona artística, com a cantoraaah de R&B/baladas dando as caras em pleno início do verão coreano, ao invés da Barbie Malibu que estamos acostumados. É meio estranho não vê-la numa praia gritando e rebolando em cima de um instrumental qualquer nesta época, mas Hapiness… é um número de R&B bem interessante que ficaria ótimo como album-track de um EP de verão (mesmo sendo meio bad vibes).

Vamos torcer para que este seja apenas um pre-release para um lançamento mais veranesco em agosto.

WoW, COOING

COOING conseguiu me deixar no hype para seu lançamento apenas pela capa de seu primeiro mini-álbum e, por incrível que pareça, ela conseguiu entregar exatamente o que eu esperava ao ver a fotinha: algo bem espevitado e cheio de estilo próprio (mesmo com o clipe de 5 wons com menos de um minuto de duração).

WoW é um dance-pop mínimo, que utiliza de toda a personalidade que ela consegue entregar em seus vocais para causar impacto. O refrão é uma delicinha e me deixa a impressão que ela é uma jovem gatinha hipster cheia de atitude.

O álbum tá bem promissor, bom números seguindo a mesma linha entre um dance-pop suave e um R&B (com uma baladinha meio sem graça no meio). Um lançamento muito sólido para uma cantora recém-debutada que até pouco tempo vivia de lançar cover no youtube.

Come with me, Ji Jinseok

Outro nugu solista que me deixou no hype pela capa do single, o lançamento de Ji Jinseok surpreende por ser o primeiro homem que vejo apostar nessa onda modernizada de citypop.

Download [Single] JI JIN SEOK – COME WITH ME (MP3)

Semelhante a qualquer lançamento inspirado da Yukika, de Goodbye Boy aqui mais em cima no post e até do lançamento da ChoA com o Primary ano passado, Come with me fica na memória por trazer um carinha harmonizando delicadamente por cima deste instrumental. E carinhas permitindo-se ser mais delicados é o que mais falta no k-pop.

Come and kiss me, BLOO

Acho incrível que nem mesmo apelando pra roupa de mangá com choker de espinhos estes rappers masculinos pseudoindie não conseguem fazer músicas impactantes o suficiente para ficar na minha memória…

Ready to Love, Seventeen

Seventeen finalmente tinha acertado comigo com You Make my Day (um dos melhores lançamentos do verão de 2018, sério!), mas depois foi só ladeira a baixo, lançando coisas entre o ruim e o esquecível, mesmo sem cair no bate-lata. Se Ready to Love tivesse vindo em 2019 ou no início 2020, talvez causasse mais impacto, mas, como os lançamentos de boygroups estão cada vez melhores nestes últimos meses, a faixa soa um número retrô que falta um pouco de pulso por parte dos integrantes (pense em como o Drippin’, o Golden Child, o TO1 e até os solistas tão conseguindo se entregar mais tanto vocalmente quanto na dança para este tipo de lançamento). No fim, eles soam um pouco travados e masculinizados demais para aproveitar todo o potencial da faixa.

Não é o nível de qualidade que eu curti lá de 2018, mas, de toda forma, vou salvar a faixa… O instrumental e a construção estão gostosinhos o suficiente e quem sabe não cresce um pouco comigo com o passar das semanas?

Review] Rain To Be – ONEWE – KPOPREVIEWED

Acho que esta semana mais parada foi bem mais aproveitável que um monte de semana mais agitada que tivemos neste ano… Os maiores destaques pra mim (além das Brave Girls e do UP10TION, claro) vão para Yunhway, Yugyeom, Cooing e ONEWE, com o BamBam passando pela beleza do menino pelos visuais e Seventeen, Hyolyn, Ji Jinseok, Serri e LUCY passando porque sou bonzinho e sempre dou uma salvada em coisas que acho agradáveis e que batem minimamente com meu gosto kk

No fim, eu acabei escrevendo metade do post agora no domingo mesmo (não deu SUPER certo o esquema de escrever um pouco por dia, mas ajudou) e ainda tô atrasadíssimo com o Cronograma de BLs a Albums Reviews do mês. Provavelmente vai sair tudo no fim do mês mesmo o.o’ (e eu vou dar uma repensada neste esquema quando vir o Dentro do Aquário kk).

Beijinhos e vamos ver o que este finalzinho de semestre promete pra gente 💖

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá se quiser acompanhar comentários aleatórios de k-pop e BLs, junto de tweets ocasionais de artes: @aquariohipster

3 comentários em “Fundo do Mar (20/06): GOT7, Seventeen, Hyolyn, ONEWE, WayV, Yukika e mais uns nugus…

Deixe uma resposta para meiriellestefanie Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s