BAD LOVE, Key: Pat Benatar está orgulhosa!

É meio doido pensar que Key virou meu integrante preferido do Shinee, ainda mais com a carreira solo dele sendo tão curta ainda (é um full e um EP japonês, basicamente). Mas, em 2018, o álbum de debut dele bateu TANTO comigo (tanto em ritmo quanto em letra) que vi uma profundidade enorme na persona artística dele. Agora, fora do exército e bancando o palhaço todo sábado pra TV Coreana, ele FINALMENTE resolveu voltar a lançar música e, fosse o que fosse, eu ia passar pano…

E QUEM DIRIA QUE EU NEM PRECISARIA FAZER ISTO?!?!?!?! Ai eu não acredito xDD!!!

BAD LOVE é, talvez, a melhor investida oitentista NO ANO, não tendo medo de ser super brega, boiola e agressiva como vários números pop de fato eram nos anos oitenta. A partir de um crescendo mais moderno (ou seja, bem mais sutil nos sintetizadores), a faixa EXPLODE no refrão, com gritos rasgados sobre como o relacionamento passado era tóxico e ele vai acabar com isto.

O que gostei muito, ainda falando só da música, é que, assim como a do vocalista do The Rose na semana passada, ela passa longe do previsível para um número deste tipo na Coreia. Desde do Boyhood inverter a rotação da terra quase plagiando descaradamente Take On Me do A-ha, parece que TUDO QUANTO É LANÇAMENTO RETRÔ OITENTISTA no k-pop segue a mesma base, provavelmente por conta do sucesso de Blinding Lights do The Weeknd (que eu acho bem qualquer coisa, pra ser sincero).

Numa primeira ouvida, a faixa me trouxe um ar de Paula Abdul, mas, pesquisando um pouco, percebi que a verdadeira inspiração do Key aqui foi a Pat Benatar. Caso você não lembre, ela é ninguém mais ninguém menos que a dona do hit Love Is a Battlefield, de 1983. Nem digo que a música tem uma estrutura similar, mas a sobreposição de elementos e temática me parece similar. Existiu uma onda bem agressiva no meio pop dos anos oitenta, que misturou as batidas mais marcadas da bateria com letras mais rancorosas sobre o mundo e os relacionamentos, e Love Is a Battlefield é uma grande referência (pelo menos uma que eu lembro) exemplificativa desta onda.

Quando Key lança deste conjunto de referência sonoro E temático, o lançamento soa um pouco mais profundo e mais bem construído que seu típico single oitentista. Não é simplesmente falar agressivamente sobre synths datados (a Sunmi fez isso e não deu certo), é preciso achar um equilíbrio entre o novo e o moderno, entre a inspiração e a criação, pra coisa soar legal como referência E como lançamento novo, algo que BAD LOVE conseguiu com facilidade.

Imagem
Olha A CARA de bicha má 💖💖

Sobre o clipe, eu devo dizer que fiquei muito contente com o Key FINALMENTE soltando a franga. Ele é, de longe, o integrante menos heteronormativo do Shinee (que já é cheio de homens não-heteronormativos). Realmente faltava ele transpor um pouco disto para as músicas solo. Olhando pra trás agora, parece que ele até estava se segurando com os singles no debut (talvez pra não ser zoado quando fosse no exército? Vai saber…).

Agora, porém, temos o pacote completo: roupas fashionistas, passos mais fluídos e um cenário bem legal nos bastidores de um filme (uma ligação com as fotos teaser que mostravam um cenário típico de filmes B de ficção científica). Apesar de ter gostado, eu achei que as referências sci-fi estariam realmente NO CLIPE, com o Key correndo de alienígenas no melhor look Barbarella-inspired. Não foi desta fez, mas há esperança se lançarem mais um single…

O EP é outra joia deste lançamento, conseguindo juntar várias sonoridades e temáticas diferentes num período bem curto de tempo e faixas. Se eu tivesse tempo, faria uma review super detalha faixa a faixa, mas, como acho difícil isto acontecer, vou comentar rapidinho aqui mesmo.

Depois do single, temos Yellow Tape outro número bem dançante e agitado, que mistura as referências house do FACE com esta nova fase mais ligada ao synthpop, com um refrão que brinca muito algo mais sexy.

Aí temos Hate That… que funciona pra tracklist não ficar com muitas músicas parecidas em sequência (e também trás um pouco de variabilidade sonora e temática pro álbum, apesar de ser a faixa mais fraca).

Em Helium, ele solta seus falsetos enquanto geme e suspira, sendo sexy de um jeito que eu não esperava (sério, tá nível Taemin esse pré-refrão sussurado!!!), candidata forte a se tornar minha album track preferida do EP até o fim do ano.

Saturday Night é um pop descontraído que segue a mesma linha de Yellow Tape (lembra a sonoridade de FACE nos versos e traz algo mais retrô oitentista no refrão), novamente ele solta os falsetos aqui, deixando a faixa com um flavor bem boiola e melhorando ainda mais o impacto do refrão em relação ao resto.

Encerramos com Eighteen (End of My World), uma power ballad bem profunda e explosiva, com ele falando conselhos para seu eu de dezoito anos (esta e Saturday Night foi ele que escreveu a letra). É o mesmo tipo de faixa empática que FACE entregou com I Will Fight e This Life. Ele discorre sobre as escolhas que fez na vida e que, se o mundo acabasse hoje, ele partiria sem arrependimentos.

BAD LOVE - The 1st Mini Album - Single by KEY | Spotify

Já deve ter dado pra perceber, mas eu fiquei SUPER EMPOLGADO com este lançamento. Claro que Key é um favorito meu, mas ele conseguiu entregar mais do que eu esperava dele! O single, o conceito do álbum, as album tracks, tudo é super redondinho, bem planejado e flui no ouvido tranquilamente, dosando muito bem faixas mais leves e faixas mais profundas. Será que ele vai ser que nem o Taemin ano passado e vai começar a lançar coisa a rodo? Se for, espero que mantenha o nível de qualidade, porque, depois de BAD LOVE, minhas expectativas pra ele subiram… E MUITO!!

O Aquário Hipster também tem twitter!! Segue lá se quiser me ver elogiando meus favoritos e músicas oitentistas: @AquarioHipster

SHINee Key's solo mini-album 'Bad Love' ranks #1 on iTune's 'Top Album'  charts in 32 different regions | allkpop

2 comentários em “BAD LOVE, Key: Pat Benatar está orgulhosa!

  1. Eu confesso que não era tão chegada nos trabalhos solos do Key, e justamente achava como tu, que meio que seguravam ele tanto no vocal como no jeito. Daí surgiu essa música! Caramba, que música boa, tudo nela é bom, a coreografia que ele tá usando vermelho é demais, a música, ele gritando no final, ainda nem conferi o álbum todo, mas já vou tratar de arranjar um tempo depois das provas do curso, e ouvir com calma.
    Pra mim, uma das melhores do ano em atos masculinos. ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s