Top Hipster: As 100 Melhores do Kpop de 2021! Parte I [100-86]

E finalmente chegamos! Depois de uma correria e quase reduzindo de novo para um Top 50, começamos o Top Hipster com as 100 melhores músicas de kpop de acordo com este aquariano aqui ^^ Eu vou fazer o meu melhor pra postar tudo dentro do cronograma, porque, sinceramente, este final de ano está bem estressante em vários sentidos… (mas seguimos).

Com a “normalização” da pandemia em 2021, toda a indústria do kpop já ficou acostumada com as medidas de segurança e o ano correu quase que normalmente, como se estivéssemos em 2019. Sendo este o motivo ou não, o ano também não teve tanto pulso quanto 2020, com muitas faixas mais ou menos que, no ano passado, nem figurariam no Top. Quem acertou e trouxe músicas legais, acertou MUITO em tudo e tivemos bons álbuns, bons clipes, bons conceitos. Mas quem errou… Só trouxe coisas mais ou menos mesmo. Eu fiz o meu melhor pra não repetir uns nomes toda hora kk (até porque senão ia ficar muito chato).

Lembrando que a lista é só uma opinião pessoal minha sobre as músicas deste ano, se quiser, me fala as músicas que você curtiu mais desse ano também ^^

Vamos começar a lista com as faixas que conseguiram chamar atenção o suficiente pra serem lembradas como boas, mas quase que se perdem no meio inespecífico e/ou ruim.

100. Next Level, aespa

Next Level é demais, a grande definição de too hard to handle no kpop deste ano. Juntaram três músicas diferentes (que sozinhas seriam bem competentes, principalmente a de new jack swing) e não criaram o mínimo de liga entre uma sessão e outra, gerando algo que no papel seria avant-garde mas na prática ficou aquele meme de trabalho em grupo (“vamos dividir, cada um faz a sua parte e no final a gente junta tudo”).

Mas Contudo Todavia Porém, minha irmã virou MY (o nome do fandom do aespa) e, nas conversas entre nós, tudo em Next Level ganhou um ar mais cômico (o passinho, as referências aleatórias a Kwangya, a forma exagerada como elas pronunciam “nekztu lebeul” e por aí vai) que fez maravilhas a faixa e a deixou como o grande número engraçadão do ano. É este tipo de leveza que falta no gerenciamento do grupo pra ele funcionar sem tanta forçação de barra.

99. Teenage, Goopy

Depois de criticar muitos rappers pseudo-conceituais nos posts de Fundo do Mar, Goopy finalmente veio para mostrar que pelo menos UM não está sendo genérico e esquecível com o trap de machão. Tudo bem que ele tá cantando rock e não mandando rap nessa música, mas ainda sim conta kk Teenage é um ótimo throwback ao pop punk do começo dos anos 2000 ao mesmo tempo que fala sobre o tempo passado da adolescência. De bônus, ainda temos um clipe sem dos muitos “filtros” que costumamos ver no k-pop. Se não tivesse o break de rap na ponte, certeza que ia ficar bem mais alto no ranking (como outras faixas que aparecerão mais pra frente 👀).

98. Hey U, Maka Maka

Hey U é o single de verão do Red Velvet que elas resolveram não lançar este ano, com uma bateria upbeat, trocentos elementos na faixa que só se acumulam e a deixam mais complexa e um clipe fumado (na medida do possível), envolvendo magia e viagem no tempo. Se você é revluv e não viu este lançamento por elas serem nugus, bem, tá perdendo um ótimo single red que, provavelmente, o grupo da SM não vai entregar mais no que resta de sua carreira.

97. Cherry, AB6IX

O gerenciamento do AB6IX me confunde e trabalha contra eles, mas Cherry é um ótimo single pro catálogo do grupo. É um número funky 101 que veríamos em qualquer demo masculina da SM, um pouquinho mais encorpada pelas onomatopeias no refrão e pelo ciclo que as frases e inglês fazem no começo e no fim da música. Além disto, a faixa brinca um pouco com o aegyo pelos vocais agudos e alegres, mas também flerta com o sexy pela analogia da cereja na letra, com tudo bem envelopado pelo clipe vibrante (com direito a color coded 💖). No fim, Cherry foi o single deles que mais se destacou no ano.

96. Round N Round, Golden Child

Como fã do Golden Child, não poderia faltar uma rasgação de seda pra uma das trocentas faixas que eles lançaram este ano kk Round N Round começa como uma faixa boa do Taemin e mantem nesse clima ao cair fundo no club house conforme a música progride, com os rappers trazendo uma carga mais espevitada que a prepotência de oppa fodão que estamos acostumados. Aí, no refrão, temos algo TÃO Sweetune para boybands em 2011-2014 que não tem como amar, fechando a faixa com chave de ouro.

95. Anxious, Roda (M.O.N.T)

Apesar da situação atual do M.O.NT ter me deixado com preguiça de tudo relacionado ao grupo (com dois do trio indo para o exército e surgindo um novo integrante do nada só para começarem a lançar música genérica), Anxious ainda é um lançamento audacioso demais para eu deixar de fora do Top 100. Em um contexto de lidar com ansiedade e bloqueio coletivo, o Roda não apenas produziu uma música desconstruída de rock e jazz sobre isto, como também pintou SETE quadros com este tema, incorporando-os ao clipe e expondo-os online. A profundidade que ele dá para mensagem ao abranger todos estes meios de expressão é enorme, e a entrega que ele faz não é só cheia de liberdade criativa como também traz aquela mensagem que não estamos sozinhos com nossas ansiedades em meio a pandemia (algo que é sempre bom de lembrar).

94. Forever, aespa

O quê, aespa DE NOVO, Tutu?” Sim, mas calma que é a última vez kk

Como minha irmã virando MY e eu ficando exposto a todo tipo de material envolvendo as integrantes (Ningning e Giselle lendárias, apenas), eu acabei escutando bastante a curta discografia delas e, sem sombra de dúvidas, Forever é a melhor faixa que elas já lançaram até agora. Ela não é perfeita, mas é uma ótima baladinha, muito bem cantada e produzida, com uma boa progressão e carisma próprio. Além disto, ela não esconde que é um cover da primeira geração do kpop e tem todo aquele flavor etéreo, místico e retrô bem característico de grupos como S.E.S e Fin.K.L.

93. Stalker, 3YE

3YE são umas nugas do rap extremamente bem gerenciadas e cheias de carisma e presença de palco (elas conseguem CONVENCER mesmo isto sendo uma modinha, é espantoso). Eu já gosto do grupo, mas com STALKER, eu FINALMENTE tenho uma faixa delas pra elogiar sem grandes ressalvas. Equilibrando o típico rap e EDM que já virou a marca do trio com um pouco de house noventista, a faixa virou um ballroom delicioso de se ouvir, cheio de força nos vocais e no refrão (o pós-refrão disto daqui é uma delícia, apenas).

E, o melhor de tudo, JUSTAMENTE pelos elementos de EDM e rap, a faixa se diferencia de todos os ballrooms noventistas que a blogosfera já rasgou seda (eu incluído), dando um sabor único para o trio de uma forma surpreendente.

92. After Midnight, Astro

Compensando todos os singles heterificados que eles lançaram nos últimos anos, After Midnight é uma faixa simples, direta e bem executada: um nudisco good vibes (bem Kylie Minogue), com algumas modernizações nos versos e um breakzinho de rap inofensivo. Prometeram um lançamento de verão pra tirar um sorriso dos nossos rostos e entregaram exatamente isto! Assim como na música, no clipe não temos nada que fuja muito do esperado. Eles trocam entre um outfit boiola e outro, inspirados no caráter mais retrô do instrumental. Vê-los numa lente menos pretenciosa e mais lúdica de novo faz a faixa descer muito mais fácil, o que não só aumenta o replay factor como dá uma revivida no interesse do grupo pra quem acompanhava eles antes de All Night.

91. Summer or Summer, Hyolyn & Dasom

Summer or Summer é Hyolyn acertando novamente no que sabe fazer de melhor. A presença da Dasom só elevou o lançamento e deixou ele mais icônico e memorável no meio a onda de verão que o k-pop está passando neste ano. Os versos criam um crescendo a partir da base de reggae, transformando-a completamente conforme chegamos no violãozinho do pré-refrão. O refrão em si explode em saxofones, quase que propositalmente referenciando I Swear, e desemboca num pós-refrão tiktokável de trap.

Não é a estrutura mais marcante por si só, mas vê-la nas mãos das duas dá muito a impressão de que é assim que um single do SISTAR soaria se elas lançassem música hoje em dia, com o clipe com as duas parecendo um casal sáfico nos EUA funcionando da mesma forma.

90. Promise, Everglow

Apesar de não ter virado o hit top20 que eu esperava quando ouvi pela primeira vez, Promise acerta MUITO e é um dos melhores singles do Everglow. A faixa segue com a linha retrô de LA DI DA e Don’t Ask Don’t Tell, misturando synthpop com um vocal aegyo num número que estaria no lado bom da discografia do Apink há uns bons anos atrás. Ela tem uma progressão bem marcada e é épica em sua construção até o refrão, que explode levemente com uma mensagem positiva em nossos ouvidos.

Não sei se você sabe, mas eu AMO um aegyo cheio de positividade que nem esse 🙂

89. Cinema, CIX

CIX é um grupo de direcionamento artístico INVEJÁVEL, já conseguindo uma identidade sonora própria em muito pouco tempo de carreira. Cinema é um pouco soft demais em sua entrega de dance-pop e club house, mas eles cantam de uma forma tão suave e gentil! É como se eles tivessem se inspirado em cantoras japonesas de city pop e percebido que a vibe do instrumental teria de ser o prato principal mesmo. Ficou ótimo, sério. Pode não ter ficado tão em cima no Top, mas com todos os singles deles tendo este direcionamento, é só uma questão de tempo para que o CIX virem figurinha carimbada em minhas playlists.

88. Kiss The World, NTX

Voltando ao aegyo cheio de positividade, Kiss The World conseguiu entregar, em seus primeiros versos (a música só começa de fato lá pro minuto 1:35 no clipe) muito mais charme e carisma que a maioria das músicas de boybands. Seja por ser um debut que teve uns mals bocados pra sair (foram quatro singles de pre-debut e a data do debut foi adiada por causa do COVID), Kiss The World soa como uma faixa refrescante e good vibes que enceraria qualquer álbum de bem-inspirado de boyband lá pra 2012. Como single, talvez seja fraca demais, o instrumental é bem genérico na linha de dance-pop com LEVES inspirações de surf rock no refrão, mas é fofinho e agradável… E continuou fofinho e agradável no decorrer do ano, sobrevivendo melhor na minha memória do que muito nome hypado por aí 👀

87. Door, Kwon Eunbi (ex-IZ*ONE)

Não tendo acompanhado o IZONE direito e mal sabendo o nome de três integrantes do grupo, consigo elogiar o debut de Eunbi apenas pelo que ele é e pelo que ela entrega. Nem tanto no quesito vocal (porque, de cantoria, só o pós-refrão depois dos saxofones é memorável), mas pela performance e atitude. Por mais que o clipe seja bonito e tenha investimento, as melhores cenas são as de coreografia (quando os caras erguem ela e fazem os passos é muito BOM! e o carão de diva que ela faz. Estou ansioso para vê-la se tornar mais uma diva tão boa quanto a Chung Ha com o passar dos comebacks.

86. Son of a Beast, TO1 (ex-TOO)

TO1 (o antigo TOO) é a definição de uma boyband com azar. Eles tiveram MUITOS perrengues desde o debut e já tiveram que trocar de nome por causa da relação arisca entre a gravadora e a empresa do grupo. Este rebrand, apesar de não entregar um bop atemporal como Count 1,2, Son of Beast se esforça para gerar impacto, com um refrão bem recheado de elementos, muitos gritinhos, um encerramento criativo (eles repetindo as frases em inglês enquanto sentam no chão ficou muito icônico) e uma coreografia bem mais diferençável do típico perfeccionismo na sincronia dos membros. Este ganho, por sua vez, também vem com suas perdas, na forma de um break de rap no segundo verso, que destoa do resto da faixa e quebra sua progressão.

Assim, numa espécie de equilíbrio, a faixa acabou se destacando de outras do mesmo estilo em competência e replay factor

Assim demos a largada para o Top 100 do Aquário Hipster! Surpresos com a aparição dupla das novinhas de Kwangya? Ou pelo Everglow já ter rodado tão cedo? Coloca aí nos comentários quem você acha que vai aparecer nos próximos posts do Top Hipster xD

Este é um de uma série de posts comemorativos de final de ano, ranqueando tudo de bom e de ruim que teve em 2021 kk Se quiser, dá uma olhada nos outros posts de final de ano: As Ruins | Álbuns | BLs | Músicas [71-85] [56-70] [41-55] [26-40] [11-25] [1-10]

O Aquário Hipster também tem Twitter!! Segue lá: @AquarioTutu

25 comentários em “Top Hipster: As 100 Melhores do Kpop de 2021! Parte I [100-86]

  1. Eu nem posso reclamar de Next Level morrendo em 100° porque eu sei que sou a única louca que colocaria ela em posições mas altas mas achei um TAPA NA CARA Forever estar na frente dela KKKKKKKK ARTHUR EU CONFIEI EM VOCÊ POXA 😩
    Enfim, ansiosa pra ver o que tem no seu top 👁👄👁

    Curtido por 1 pessoa

  2. a música de natal das guerreiras de kwangya aparecendo aqui? kkkk ok, eu n esperava por isso, mas tô ansioso pra ver o resto da tua lista viu gatinho 👀

    Curtido por 1 pessoa

  3. tem umas músicas aí que eu nem sabia da existência kkkkk
    será que vai ter o cosmic girls, weki meki e o iz*one na próxima? hum… pensando…

    Curtido por 1 pessoa

  4. Eu tenho que confessar que embora eu goste de next level ouço bem mais forever. Mas eu curti bastante yeppi yeppi então provavelmente entraria num top meu. Fora isso para ser honesta não lembro de metade das músicas que estão na lista

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s